Dilma Rousseff - porque NÃO votar


Início>Outras iniciativas>Mapa Geral

Abaixo a íntegra de todos os textos. 


Use o mapa acima para facilitar a navegação


Inicio
Cartas abertasHomenagem aos soldados do Brasil – e convocação à ação

Gostaria primeiramente de prestar minha homenagem aos soldados, a ponta da lança da ação concreta: que sejam eternamente reconhecidos por este papel fundamental a qualquer objetivo. Que sejam sempre inspirados pelo espírito de nossos heróis e se encorajem para a defesa da nação, alertas a todo momento. Destaco e me dirijo especialmente aos soldados das Forças Armadas, com atenção especial aos meus exemplares amigos que tem a honra de estar na ativa, sem esquecer os Soldados de Deus que atuam constantemente pela defesa de nosso império da Santa Cruz.

Neste 25 de Agosto de 2010 faz-se necessária uma reflexão para tomada de um posicionamento de coragem. Além da doutrina há o comando; e deste deriva-se o exemplo que deve ser seguido. O comandante das Forças Armadas vem dando exemplo de que abre mão de sua função de Chefe de Estado “depois do expediente” e vira militante político. Militante de um movimento político que não é democrático, mas que falsifica, abusa, perverte e viola qualquer princípio e noção de democracia. Militante que se posiciona sem medo pelo que acredita. Então, arrisco-me na questão: aos seus comandados cabe ação parecida? Uma ação política – esta sim – em defesa do Brasil e da unidade Nacional? Trata-se de claro momento de exceção.

A ação guerrilheira, que hoje tomou o poder por meio de golpes e mentiras ditas em caras campanhas de "marketing" enganando o povo, vem dando abusivos sinais de seus permanentes objetivos de destruição de nossa nação, de nossa tradição, das Forças Armadas e de toda a Nação em geral.

Em um dos atos que entra para a coleção de abusos foi decidida a devolução do canhão que capturamos na Guerra do Paraguai! Vale lembrarmos uma das chamadas feitas por Caxias durante a guerra que seria vitoriosa:

"Camaradas! O Inimigo vencido por vós na ponte de Itororó e no arroio do Avaí, vos espera em Lomas Valentinas, com os restos do seu exército. Marchemos sobre êle e, com esta batalha mais, teremos concluído as nossas fadigas e provações. O Deus dos Exércitos está conosco."

Os planos de desmoralização das Forças Armadas e da nação estão claramente reunidos e já não podem ser disfarçados com o PNDH3 - que deve ser combatido, trata-se de verdadeira declaração de guerra contra nossa Nação.

Que Caxias esteja vivo em cada soldado de nosso Brasil para lutar contra o separatismo e a divisão dos brasileiros e contra aqueles que o promovem - muitos dos quais infiltrados dentro do Estado e em campanha para reeleger o esquema imoral e ilegal. Que ao final dos horários de obrigação de trabalho cada um dedique-se como for possível ao esclarecimento do povo, ao combate aos crimes.

Rogo a Deus que faça, neste momento de exceção, com que cada soldado e cada oficial assuma rapidamente seu papel, seguindo o exemplo do Presidente da República.

A defesa da nação é dos elementos primeiros e fundamentais de uma doutrina de guerra!
Pelo Bem do Brasil!

 


Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.


Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.

Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César. Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir- se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus.

Já na campanha eleitoral de 1996, denunciei um candidato que ofendeu pública e comprovadamente a Igreja, pois esta atitude foi uma usurpação por parte de César daquilo que é de Deus, ou seja o respeito à liberdade religiosa.

Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.

Na condição de Bispo Diocesano, como r e s p o n s á v e l pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que – por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender. A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; MT 5,21).

Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam.

Evangelizar é nossa responsabilidade, o que implica anunciar a verdade e denunciar o erro, procurando, dentro desses princípios, o melhor para o Brasil e nossos irmãos brasileiros e não é contrariando o Evangelho que podemos contar com as bênçãos de Deus e proteção de nossa Mãe e Padroeira, a Imaculada Conceição.

D. Luiz Gonzaga Bergonzini
Bispo de Guarulhos

 


Aos militantes lulistas
 
   Escrevo aos militantes do lulismo para que desistam e que mudem de posição. Não se preocupem, abram suas mentes e perceberão que as diferenças entre "o boneco" Dilma e outras opções não são significativas no plano programático. Não teimem que todo aquele que discorda da eleição de Dilma é um "tucano", mesmo porque a maioria dos críticos deste governo mantém as mesmas críticas ao anterior.
Desistam de fazer papel de papagaios irracionais. Pensem! 
 
   Em pouco mais de dez dias do início do meu trabalho, recebi meia dúzia de ataques grosseiros, mas sequer uma palavra contestando as poucas informações que já reuni aqui. Nem mesmo os vídeos (que não fui eu que fiz) foram comentados. Isso mesmo tendo ficado claro meu desafio aos militantes: contestem e me escrevam que publicarei atalhos para as respostas sérias.
 
Verdades sobre "O novo Brasil" ("fundado" em 2003)
 
   O governo Lula foi uma “Xerox” mal feita do governo anterior. Sabe quando a cópia faz, do cinza escuro, preto e do cinza claro, branco? Exagerando em alguns pontos e ignorando outros. Isso ocorreu em vários casos. O mais gritante e lamentável foi na política econômica, sobretudo na questão bancária, com a vergonha dos maiores lucros e lucratividades da história da humanidade. Aliás, conhecem Carlos Lessa? Entre outras coisas oportunas declarou ela a respeito de Lula: "está sendo enganado pela elite brasileira e pela elite mundial".
 
   Se prestarem atenção, perceberão que o campo não produz de um dia para o outro, que uma indústria não se implanta em uma semana nem que a qualificação profissional adequada se faz em um mês. Se prestarem atenção, perceberão que parte enorme do que foi colhido e festejado como "o novo Brasil" foi plantado anos antes - e muitas coisas foram preparadas há décadas. Já, para perceber que o petróleo não se cria em menos de mil anos, acho que ninguém precisou prestar muita atenção - apesar da propaganda oficial tentar puxar a sardinha (que é de Deus) para a brasa do "são" Lula.
 
   Um dos erros mais lamentáveis [da forte propaganda] foi ignorar o passado e forçar a barra do tal novo Brasil (chegam a usar até a Eletrobrás - cujos serviços não são consumidos pelo povo, mas que insistia em repetir a este que "estamos vivendo um novo Brasil", semanas antes do início legal das campanhas). Este abuso acaba por gerar (além da ignorância do povo), um despreparo geral para as próximas décadas, pois passam a ignorar o que tem que ser feito antes. A frase de Arlindo Veiga dos Santos é uma síntese brilhante "O presente que nega o passado não terá futuro".
 
  Este novo Brasil que estão tentando proclamar na marra seria um Brasil ateu, materialista, consumista e escravo. Isso é incompatível com nossos valores; serve para tapear o povo durante algum tempo, mas não somos assim. A metodologia da tapeação, que tanto o PT criticou, não tem força muito menos quando comete o equívoco de declarar guerra aos valores sagrados do Brasil. Negar nossa história, nossa tradição e nossa fé foi o erro que entrará para a história como a perda definitiva da capacidade de expansão das "esquerdas" no Brasil. Nosso amado Brasil se movimenta e se reordena; os brasileiros que estavam se dedicando aos seus trabalhos, às suas famílias e a Deus, estão percebendo que há uma tentativa de golpe e estão acordando para a defesa. 
 
 
"Xiitas" suicidas
 
   Peço desculpas ao povo xiita, mas este termo define bem aqui no Brasil as noções que temos por fanatismo suicida. O suicídio pode ser romântico para alguns, mas não vale a pena e é um erro. Algumas pessoas muito competentes, inteligentes e bem intencionadas estão entrando no jogo da "onda-vermelha". Onda de loucura, de superficialidade, de fanatismo cego, de ira, de paranóia coletiva e até mesmo de encorajamento para o crime! Tentei inúmeras vezes debater com vocês, mas ficam em pânico e fogem de qualquer debate sério. Este tipo de fenômeno tem colocado na condição de massa-de-manobra até mesmo pessoas com grande visão, incluindo bons jornalistas que resolveram amarrar-se a bombas na tentativa quixotesca de ferir o monstro que não existe.
   Ver jornalistas que admiro pela competência sendo levados por esta onda me preocupa muito: estão abrindo mão da credibilidade. Não que um jornalista não possa manifestar sua posição política, aliás, acho que não erram os que o fazem de forma clara. Mas entre isso e teimar com absurdos há um caminho enorme. Vi jornalistas enfurecidos falando que violar sigilos é normal, falando que tudo isso é mero "factóide" eleitoral.
 
   Senhores, prestem atenção. Não vejam em cada pensamento contrário um tucano: até porque pensam de forma muito parecida em relação às questões políticas. Não fiquem com este ódio que os tem cegado a ponto preocupante.
   A senhora Dilma foi uma péssima escolha e é muito provável que não seja eleita por todos os sinais que vão se evidenciando. Então, poupem-se e reflitam. Abram mão do fanatismo para pensar e depois, se perceberem o erro do PT, colaborem com a divulgação deste trabalho.
 
Salve o Brasil!
 
Lucas P. de Carvalho

Não 'queremos ser como as outras nações' (1Sm 8, 20a)

Por Manoel de Sousa Neto*

 

Nestes últimos dias, os cristãos autênticos veem apavorados às pesquisas que indicam a vitória da candidata do Partido dos Trabalhadores à presidência. Esses dados estatísticos são veiculados com toda a ênfase por aqueles que estão interessados na concretização das aberrações objetivadas por tal candidata.

Que aberrações são essas? Refiro-me às propostas ratificadas no III Congresso petista, realizado em 2007, que visa, dentre outras iniciativas, descriminalizar o aborto, legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo e amordaçar as religiões cristãs.

Essas ideias são baseadas no marxismo ateu que tomou conta do partido que seduziu aos membros da Igreja Católica durante a sua fundação, por meio dos movimentos sociais. E hoje, o PT desafia o cristianismo tentando acabar com a maior bandeira cristã e com o mais sublime direito humano: a vida. Chegou até expulsar dois deputados baianos por se colocaram contra o biocídio fetal (cf. Estatuto do PT, art. 128, §2º). O partido quer seguir o exemplo irresponsável de países europeus e até da América que legalizaram o aborto. E a Palavra de Deus é bem clara ao dizer: “não matarás!” (Ex 20,13) e “Antes que no seio tu fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado” (Jr 1,5). “A vida humana deve ser preservada desde a concepção até o falecimento” (Bento XVI). E a maioria dos que defendem o Projeto de Lei 1135/1991, são parlamentares ligados a esse partido. Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

O aborto não “é questão de saúde pública”, como defende essa senhora e o seu principal apoiador. Questão de saúde pública é a dengue, é o câncer e é a pressão alta que são doenças a serem tratadas e combatidas pelo Ministério específico. É uma questão moral e teológica que diz respeito a uma vida humana a qual somente Deus tem o direito de ceifá-la. Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

Quanto aos homossexuais, antes de tudo, gostaria de esclarecer que o Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 2358, nos diz que os mesmos “devem ser acolhidos com respeito e compaixão, evitando para com eles sinais de discriminação injusta. Eles são chamados a realizar a vontade de Deus e a carregar a própria cruz para encontrarem sua verdadeira condição”. Nós, como cristãos temos a missão de acolhê-los para que não se sintam excluídos e orar para que se convertam e reconheçam o plano divino para suas vidas.

Respeitar é uma questão salutar. Agora aplaudir à homossexualidade e ao lesbianismo propondo leis que oficializam à união civil entre pessoas do mesmo sexo e, com direito a adotar uma criança, é uma brincadeira de mal gosto! É zombar de Deus que diz: “Por isso o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne.”! (Gn 2,24). Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

E sabemos que uma família normal é composta por pai, mãe, filhos e filhas e não por pessoas de sexo iguais, que por si só, não estão abertas a gerar uma vida, porque não se completam nem afetiva e nem sexualmente. Não é família e sim caricatura de uma família. É um absurdo!

Na Parada Gay 2010, eles pediram aos presentes no evento que não votarem em “candidato fundamentalista religioso”. No entanto eu peço a você (católico ou evangélico) que não vote em candidato que se diz cristão e que for a favor desses e de outros disparates.

E não podemos nos esquecer da perseguição religiosa que sofrerá os pregadores cristãos que se posicionarem contra essas leis. No Congresso Nacional tramita uma proposta que ameaça até de cadeia, sem fiança, àqueles contrariarem tais resoluções parlamentares, equiparando a homofobia ao crime de racismo, de não pagar pensão e de ser depositário infiel. Enquanto que a Constituição Federal de 1988 nos diz que “é livre a manifestação de pensamento sendo vedado o anonimato” (Art. 5º, IV)

Mas o ateísmo poderá ser exercido livremente, inclusive com o outorga de retirar os símbolos cristãos de domínios públicos, como o crucifixo, a Bíblia da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados e até o Nome de Deus do preâmbulo da CF/1988. Fazem isso se utilizando do argumento barato de que o Brasil é um país laico e devem ser respeitadas todas as religiões, principalmente o ateísmo. Porém, se esquecem que a maioria esmagadora de nosso país se declara cristão. Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

Ainda podemos citar que o Partido dos Trabalhadores defende a legalização da maconha, a redução de tempo para a efetivação do divórcio, a retirada do ensino religioso do currículo escolar, a lei da palmada, a manipulação de embriões humanos e a legalização da profissão de prostituto (a). Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

As propostas que ainda não viraram lei, estão para serem entregues ao Congresso, na próxima legislatura e contará com uma força tarefa composta pelo atual presidente da república, por sua candidata, pelo vice dela, por ministros de estado, por senadores, por deputados e por outros aliados, que terão a “obrigação pressionarem a aprovação dessas iniquidades” (Pastor Paschoal Piragine Júnior). E quem for contra, será expulso e/ou demitido. A eleição dessa mulher trará o caos para o Brasil. Não “queremos ser como as outras nações” (1Sm 8, 20a).

Em (II Reis 18,13-19,37) conta-nos que a Assíria, com seu rei, Senaquerib, invadiu uma série de países, inclusive Israel, destroçando-os. E ainda o copeiro-mor assírio zombou de Deus dizendo que Ele não livraria Judá de tal invasão e destruição. Ezequias, rei de Judá, chamando o profeta Isaías, colocaram o joelho no chão e clamaram ao Pai do Céu que livrasse a terra de Davi da intervenção. Deus ouviu o clamor do rei e do profeta judaítas e enviou um anjo que matou 185 000 soldados, de um só vez, e além disso, Senaquerib foi assassinado pelos próprios filhos.

Com base nessa passagem, independente de sermos católicos ou evangélicos, candidatos ou eleitores, coloquemos-nos em oração, se a saúde permitir, façamos jejuns e clamemos a Jesus que destrua os planos dos atuais governistas. Pois Ele mesmo disse: “Pedi e vos será dado” (Mt 7,7a). E tentemos convencer o máximo de votantes a não confirmarem o voto nem no PT e nem em sua candidata.

Se eles se confiam no Presidente da República, que se considera um deus no Brasil e até no mundo, nós confiamos em Jesus, que é o Deus Todo-Poderoso, Senhor e Rei do Universo.

 

* Manoel Rodrigues de Sousa Neto é acadêmico de Administração de Empresas e servo de Deus na Paróquia Sagrada Família, em Goiânia.


DefiniçõesDefinições

 

Acuso: Uso da máquina

A propaganda estampada em toda parte "Brasil um País de Todos" é uma propaganda (direta ou subliminar) do PT. A frase e sua versão anterior (Para Todos) são usada tanto pelo governo quanto quanto pela propaganda do partido. 

 

 

Acuso: Quadrilha

Associação de três ou mais pessoas para o crime. 

Consideremos que os crimes não julgados não tenham ocorrido, tais como: mensalão, quebras de sigilos, compra de votos, calúnia, difamação, falsidade ideológica, corrupção passiva, peculato etc. E consideremos que não haja revisão dos crimes anistiados na década de 80.

O que não se pode negar são os crimes já julgados. Foram condenados o Presidente da República e a candidata Dilma Rousseff. Nos crimes julgados este ano, não trabalharam sozinhos, tiveram apoio de todo o partido. Portanto, associaram-se para os crimes eleitorais muito mais que três pessoas, as quais denuncio: PT e PC do B são chefes de uma quadrilha.

 

Acuso: Fraude

Lula, em pronunciamento deixou claro: "votar em Dilma é votar em mim". Independente de refletirmos sobre a finalidade de uma lei, devemos reconhecer que é proibido, no Brasil como em outros países, duas reeleições. A candidatura de Dilma é, na prática, o terceiro mandato de Lula. Uma fraude eleitoral e um golpe de Estado de um partido que se reduziu ao "lulismo".

 

Acuso: Falsidade Ideológica

Lula, em pronunciamento deste 7 de Setembro, diz que o pedido de investigações [relativas às quebras dos sigilos fiscais de diversas pessoas] é uma traição ao Brasil e um ataque à mulher brasileira. A abusiva falsidade cometida pelo presidente da república envergonha a nação e anula a seriedade das instituições.

 

Acuso: Cumplicidade

A Receita Federal está aparelhada até mesmo em delegacias regionais por membros do "partidão". Dentre os milhares de "cargos de confiança" muitos serviram para aparelhar instituições sérias com a militância fanática. A cada dia escapa uma notícia de outro sigilo quebrado, as informações estão a um toque de tecla dos responsáveis que fazem de tudo para esconder os crimes. A ocultação do crime é cumplicidade.

"autoridades" aparelhadas já declaram que as investigações podem levar 60 dias!


* leia todas as considerações que faço em "Esclarecimentos Importantes".


Esclarecimentos Importantes!

Esclarecimentos importantes:

 

Se alguém o indicou este trabalho não se compromete necessariamente com todo o conteúdo. Este é um trabalho que soma aspectos que não se conectam necessariamente e ninguém precisa estar em pleno acordo com todos os aspectos para contribuir ou divulgar.

Desenvolvo este trabalho político como um ato de fé. Não faço campanha aos que considero efeitos colaterais. Sob os dons do Espírito Santo a mim concedidos, enfrento os riscos e ameaças a minha vida. Faço este trabalho sabendo que a verdade deve ser dita ainda que a perseguição seja violenta. Rogo a Deus proteção e bênção suprema, ao Espírito Santo iluminação e capacidade de clarificar mentes, a Jesus a capacidade de sustentar a fortaleza da verdade e a Maria a intercessão junto a todos os Santos para que tenhamos apoio nesta missão que tem por fim último Deus.

Trabalho começando : Começo este trabalho no dia 25 de agosto de 2010, dia do Soldado em que homenageamos o sacrífício daqueles que defenderam nossa nação, e espero reunir brasileiros que estejam dispostos a assumir a tarefa de soldados da política e soldados de Deus: hoje a guerra é diferente como perceberão os leitores atentos. O trabalho está ainda muito incompleto mas espero conseguir um bom número de informações no menor prazo possível - se há um risco para o Brasil com a eleição de determinados candidatos, o risco é muito maior caso seja por larga vitória: a arrogância seria incontrolável.

Responsabilidade pelas informações : As informações listadas (referências) e assinadas são de responsabilidade dos autores. A listagem de videos e outros textos não representa necessariamente minha concordância com todo o teor. Peço a todos os leitores que reflitam sobre o material aqui listado inclusive considerando a possibilidade de alguma coisa ser incompleta.

Comentários, sugestões, críticas e respostas : Eu sou um trabalhador e tenho diversos compromissos todos os dias, portanto sem tempo para acompanhar esta movimentação de forma integral. Algumas coisas portanto não responderei, peço que respeitem minha falta de tempo não considerando qualquer falta de respeito. Meu endereço: lucas@rousseff.net.br

Direito de resposta: Desafio a militância esclarecida (se houver) a tentar criar respostas para cada tema. Às que forem respeitosas aos valores Brasileiros (e sérias) deixarei disponível um atalho em cada texto respectivo, com comentários meus ou de amigos.

 

Lucas de Carvalho e amigos
DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA


Resumos e síntesesSíntese em 10 pontos - Por Antonio Alvares Cabral

Em 2010, votaremos para Presidente da República, Senadores, Deputados Federais e Estaduais e Governadores de Estado. Não é pouco, nem pouco importante. O voto é uma arma perigosa, e existem forças que, covardemente, baseadas em mentiras e extorsões, vêm tentando manipular, para seus fins inconfessáveis, o voto do eleitor.

Mais curioso ainda é notar que, a julgar pelo debate eleitoral e os principais candidatos ao cargo de representante do Brasil, todos os brasileiros têm objetivos comuns, como o estabelecimento do racismo de Estado, o abandono do interesse nacional, a destruição de nossa segurança já em péssimo estado, o apoio a ditadores e terroristas (como as FARC, traficantes de drogas, e o presidente venezuelano Hugo Chávez, que as arma) inimigos do Brasil e seus interesses, a legalização do aborto (que é um assassinato contra um ser humano vivo e indefeso, feito sob a desculpa dum egoísta “direito de escolha”).

Será que se opor a isto é ser radical, reacionário, lembrança de um passado triste do Brasil? Será pessimismo se preocupar com uma economia brasileira dependente dos interesses chineses por comprar nossas terras, nossos minérios, nossos alimentos (cujos preços podem despencar de uma hora para outra)? Será possível que o Brasil cresça vendendo tais produtos e comprando produtos industrializados e serviços? Não! São preocupações que amarguram as mães com filhos vítimas da bandidagem, que preocupam os jovens que logo procurarão emprego, que amedrontam vizinhos que logo podem ser postos como inimigos pela doença do racismo.

Não temos os melhores candidatos disputando as eleições presidenciais, como não os temos há muito tempo. Mas é importante que tenhamos consciência dos motivos para não nos piores candidatos. E o que há de pior é a senhora Dilma Rousseff, mentirosa e com laços com a bandidagem há décadas. E quem mente sua biografia na campanha, por que não mentiria sobre seu governo? Vejamos 10 dos muitos motivos para não votar Dilma:

1.       DILMA diz que lutou com coragem pela democratização do Brasil. MENTIRA. Dilma foi fez parte de um grupo armado que realizou seqüestros, assalto a bancos e cometeu assassinatos, inclusive de inocentes que nada tinham a ver com posições políticas sequer. A desculpa para tanto? Criar no Brasil uma ditadura comunista, destruindo a soberania nacional e impondo no Brasil O MESMO GOVERNO QUE ORDENOU A MORTE DE MILHÕES. Dilma nunca ligou para a democracia, foi sempre sua inimiga.

2.       Sempre MENTINDO sobre o período 1964 – 1989 (DILMA só não foi cúmplice de crimes contra a vida, a propriedade quando esteve presa), Dilma, que diz se importar com os miseráveis, apoiou e obteve para si mesma e seus amigos o status  de anistiada (isto é, perdoada por seus crimes). Além de ter seu perdão, conseguiu que ela seus comparsas ganhassem pagamentos milionárias, que já somam R$ 2,5 bilhões. E os trabalhadores mutilados em ataques a bomba, os funcionários de banco feitos reféns, as famílias de seqüestrados? No máximo, ganham um salário mínimo. Pior ainda para jovens policiais e soldados que arriscaram a vida para combater GRUPOS ARMADOS como o de Dilma. Dilma diz que se importa com o povo. MENTIRA! Ela pega o dinheiro do trabalho do povo para ter uma vida fácil e bem paga injustamente. E traz para trabalhar com ela os comparsas, inclusive estrangeiros, que pegaram em armas contra o Brasil.

3.       DILMA diz que respeita os direitos do povo. MENTIRA. Como nunca deu valor à vida humana, Dilma é a favor do aborto. Para ela, aborto é escolha. Não é. Ninguém tem certeza quando uma vida começa. Existem estudos que afirmam que um feto de poucas semanas já tem reações, sente medo, dor. É um ser humano. É que não pode se defender. O aborto é um assassinato cruel. E, se for possível assassinar uma criança, o que não pode vir depois? Matar todos os indefesos?

4.       No Brasil, todos têm – e lutamos por isso – o direito de adorarem a Deus de acordo com suas crenças. Defendemos mesmo o direito de não acreditar em Deus. Mas DILMA MENTE para o povo católico ou protestante quando assiste a missas ou cultos. Dilma é contra a religião. Sua única religião é o dinheiro e os ganhos dela e de seus comparsas.

5.       DILMA É RACISTA. Num país de maioria mestiça, Dilma quer obrigar a todos a terem documentos classificando cada um como negro, branco ou índio. Quer dividir o povo brasileiro, inspirando o ódio entre famílias e vizinhos. Ao invés de integrar, quer separar. Por que não combater a desigualdade social (verdadeiro problema) ao invés de inventar raças, que a ciência provou não existirem? Logo, teremos bairros para negros, judeus, brancos... Cidades para índios (já temos)... Não são todos brasileiros? Essa história já aconteceu na Europa, e sabemos no que resultou.

6.       DILMA diz que quer ajudar o povo necessitado. MENTIRA. Dilma não criou os programas assistenciais, e só os apóia porque espera, com pequenas esmolas (ela não cria reais condições de sair da miséria), conseguir uma massa de gado que ache que deve tudo a ela. E isso é MENTIRA.

7.       DILMA é a favor do CASAMENTO GAY e contra o casamento normal. Não somos homofóbicos, combatemos duramente a violência contra homossexuais, física ou moral. Mas acreditamos na família, que é a base de uma sociedade melhor. Sem boas famílias, não há boa sociedade. E a família, com um pai, uma mãe e filhos é fundamental. Não somos contra gays viverem juntos, mas o casamento é algo sagrado, que une um homem e uma mulher a seus filhos e antepassados.

8.       DILMA abriga membros das FARC, levando-os até mesmo para o governo do Brasil. A sucessora de Dilma é casada com um desses terroristas, e ganho seu emprego de Dilma. Dá para acreditar quando ela diz que quer acabar com as drogas e emprega traficantes?

9.       DILMA diz que a economia do Brasil seria pior sem ela. MENTIRA. Dilma aumentou a concentração de renda, o ganho do capital especulativo (os bancos estrangeiros nunca ganharam tanto no Brasil). E Dilma não apoiou políticas que fizessem a economia se modernizar, gerando empregos melhores.

10.   DILMA MENTE. Dilma disse que tinha mestrado e doutorado e era mentira. Se ela mente até nisso, por que ela não mentiria em todo resto? Será que realmente podemos entregar o futuro do Brasil e uma ladra, terrorista e mentirosa contumaz? É esse o futuro que queremos?
 


Anti Deus (e Família)
AbortoPARA ENTENDER O PT - Denúncia

PARA ENTENDER O PT

Humberto L. Vieira

Presidente da PROVIDAFAMILIA

Em sua última decisão o Partido dos Trabalhadores, PT puniu, com suspensão, os deputados Luiz Bassuma, PT/BA e Henrique Afonso PT/AC por serem contrários à legalização do aborto. Várias matérias circulam na Internet tentando explicar essa atitude dos dirigentes do PT.

De um lado justificam a decisão tomada em face daqueles deputados contrariarem decisão do partido que, em seu programa, inclui a legalização do aborto, embora esse fato tenha sido omitido a seus eleitores que, em sua grande maioria, são contrários à legalização do aborto.

De outro lado, os defensores da vida argumentam que o PT descumpriu a Constituição e a Convenção Americana dos Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica) que asseguram o direito à vida de todo ser humano. Nem mesmo a objeção de consciência, universalmente aceita, foi respeitada pelos dirigentes do Partido dos Trabalhadores.

Gostaria de trazer à consideração um outro argumento para bem entender a posição assumida pelo PT.

Quando se diz que defensores da vida não devem se filiar ao PT e nem votar em seus candidatos, alega-se que não deve ser bem assim, uma vez que parlamentares de outros partidos também votam pela legalização do aborto. Essa posição de se opor ao PT é uma posição radical. Todavia quem se filia ao PT ou vota em seus candidatos são coniventes com a legalização do aborto. É bem verdade que alguns cristãos (católicos e evangélicos) bem intencionados permanecem nas fileiras do PT e até podem votar contra os projetos de legalização do aborto e se pronunciar a favor da defesa da vida. Isso é permitido pelo partido desde que seu voto não decida pela rejeição desses projetos e que sua atuação como parlamentar não interfira nos projetos do partido. “O PT abriga várias correntes e é um partido democrático”, alegam. Essa era uma maneira de justificar a “democracia” existente no PT. Agora com a penalização dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso não há mais dúvida sobre a tirania desse partido. Não sejamos ingênuos acreditando na falácia do PT.

Para bem entender esse assunto é preciso conhecer o GPEPD e o GPI. Essa siglas abrigam os parlamentares do “Grupo Parlamentar de Estudos de População e Desenvolvimento” e do “Grupo Parlamentar Interamericano” que têm como propósito modificar a legislação do país a fim de tornar legal a prática do aborto em qualquer estágio da gestação.

O GPI é o Grupo Parlamentar Interamericano, constituído na conferência hemisférica de legisladores que se realizou em Brasília, em dezembro de 1982. O GPI tem personalidade jurídica no Estado de Nova York. Como tal goza de privilégios de isenção de impostos. Entre suas finalidades está: (1)

"Revisar as legislações nacionais a fim de considerar a possibilidade de despenalizar o aborto, tendo em vista o grande número que se realiza a margem da lei e a alta taxa de mortalidade que resulta"

Outras recomendações do GPI: "Estabelecer vínculos de colaboração e comissões interdisciplinares para as reformas legislativas com a participação de grupos privados e grupos de mulheres, especializados na temática da legislação e direitos reprodutivos da mulher"

"Estabelecer comitês parlamentares com representantes de várias comissões do congresso (da mulher, educação, comunicações, orçamento, população e saúde) para supervisionar e coordenar os avanços nos programas de planejamento familiar e saúde reprodutiva". (2)

Para implementação dessas medidas no Brasil, foi constituído o GPEPD - Grupo Parlamentar de Estudos de População e Desenvolvimento. Segundo o "Inventory of Population Projects in Developing Countries Around the World", publicação do FNUAP, esse grupo foi responsável por introduzir, na Constituição Brasileira, o dispositivo que trata do planejamento familiar (Art. 226 § 7º)

Os recursos para o GPEPD são oriundos da IPPF, do Pathfinder Fund, do Family Planning

International Assistance (FPIA): (3)

Desde a constituinte esses grupos já financiavam as atividades de controle populacional no Brasil:

"Planejamento Familiar e a Assembléia Constituinte Brasileira. Monitorar e onde necessário dar assistência no desenvolvimento do tema planejamento familiar no texto da Constituição Brasileira.

Membros do Grupo Brasileiro de Parlamentares sobre População e Desenvolvimento receberão instruções técnicas sobre o assunto que contribuirão para debates sobre planejamento familiar.

Recursos Fathfinder Fund/Brasil US$112.755"

Manter assessoramento e assistência ao Grupo Parlamentar de Estudos de População e

Desenvolvimento - Recursos: 2.552.200 (1989); 1.752.200 (1990); 1.752.200 (1991)"; Programa Informativo e Educacional para políticos do Hemisfério Ocidental (1994). Órgão executor: Grupo Parlamentar Interamericano sobre População e Desenvolvimento. - Orçamento FNUAP até 1994:

US$44.500. Promover o papel Parlamentar na América Latina e no Caribe em Questões ICPD

(1994). Órgão executor: Grupo Parlamentar Interamericano Sobre População - FNUAP: US$119.000

Além desses recursos a FPIA - Family Planning International Assistance publica em sua home

page, na Internet:

"Nos anos recentes, especialmente desde que a USAID retirou seu apoio, FPIA ampliou seu

campo de ação procurando trabalhar com grupos e pessoas em projetos relacionados ao aborto.

Doações foram feitas para agencias no Zaire, Congo, Kenia, Irlanda, Austrália, Bangladesh,

México, Brasil, Peru, Equador, Bolívia e Nicarágua para estabelecer serviços de aborto seguro, fornecendo referência e aconselhamento sobre aborto, defendendo direitos reprodutivos, e legalmente contestando leis restritivas ao aborto." (Grifo nosso)

 

Mas esse grupo parlamentar tem um forte assessoramento, vejamos:

Recursos Para o Centro Feminista de Estudos e Assessoria - CFÊMEA

*Centro Feminista de Estudos e Assessoria – Organização feminista que faz ‘lobby’ no interesse de organizações promotoras do controle de população, do aborto, da eutanásia, do homossexualismo, no Congresso Nacional (4).

 

Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFÊMEA) monitoração

e educação política dos direitos das mulheres. Duração 1994-98 –Fundação Ford

CFÊMEA 1994-1998                                                                           US$323.000

Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFÊMEA) para apoio a um programa dirigido a  líderes políticos e ao público em geral.Duração: 1994-1996 – Fundação MacArthur

CFÊMEA 1994-1996                                                                            US$300.000

Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFÊMEA). Treinamento e coordenação entre ONGs de mulheres da Argentina, Brasil, Chile,

CFÊMEA 1996-1998                                                                            US$62.000

Colômbia, México, Peru e América Central. 1996-1998: $62.000 – Fundação Ford

Projeto: Direitos da Mulher na Lei e na Vida – Fundação MacArthur – 2000 (duração 3 anos)

CFÊMEA 2000-2003                                                                                        US$210,000

Claro que além desses recursos financeiros outros se seguiram e por falta de fonte deixamos decitá-los.

 

Pelo exposto se entende que parlamentares de outros partidos, além do PT apresentem projetos e até votem pela legalização do aborto, pois devem integrar o GPEDP.

Mas quem são esses parlamentares que fazem parte do GPEPD e do GPI? Seus nomes não aparecem em documentos oficiais. Isso poderia criar embaraços junto a seus eleitores. Entretanto não é difícil identificá-los. É suficiente verificar os que estão apresentando projetos de aborto e os que sistematicamente votam pela aprovação desses projetos.

Diante dos fatos acima citados, será mera coincidência que as feministas exigiram a punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso e que o PT aceitou essa exigência?

A “gota d’água” para a punição desses deputados foi a aprovação da CPI do aborto por iniciativa do dep. Luiz Bassuma. Embora aprovada, essa CPI não chegou a ser instalada por pressão dos defensores do aborto. Essa CPI iria mostrar a origem e o montante dos recursos internacionais para legalizar o aborto no pais. Por isso os grupos feministas entraram em desespero e conseguiram com as lideranças não indicarem os membros para que essa CPI fosse instalada.

A população precisa saber desses fatos para que os eleitores dêem um voto consciente. As eleições se aproximam e é hora de divulgar essas informações.

ii

1. Noticiero Interamericano de Poblacion, publicação do Grupo Parlamentar Interamericano sobre População e Desenvolvimento, N. 12, Fev/1992.

2. Boletin do Grupo Parlamentario Interamericano Sobre Población y Desarrollo Vol. 10 nº 3/4 Agosto/Setembro, 1993.

3. Inventory of Population Projects in Developing Countries Around the World, publicação do FNUAP 1989/91 e 1994.

4. Inventory of Popularion Programs in Developing Countries Around the Word, 1996, publicação do Fundo de População da ONU (FNUAP)

b) Fundação MacArthur: http://www.macfound.org.br/ - macfound@macfound.org.br
 
 

 


Aborto - Dilma e Silas Malafaia

A diferença do pensamento humano e cristão:

 


Vídeo incontestável da relação PT-Aborto

Vídeo mostra documentos oficiais e narra detalhes (com fontes) da relação PT-Aborto.

Atos do governo, ONU, Concenso de Brasília, programa do Partido dos Trabalhadores (futuro governo da companheira Dilma), Luiz Bassuma (BA - Ex PT) etc.

 


APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS - CNBB

Em nota, Regional Sul 1 pede divulgação do texto "Apelo a todos os Brasileiros e Brasileiras"

 

 

NOTA DA COMISSÃO EPISCOPAL REPRESENTATIVA DO CONSELHO EPISCOPAL REGIONAL SUL 1 – CNBB


A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”.

São Paulo, 26 de Agosto de 2010.

Dom Nelson Westrupp, scj
Presidente do CONSER-SUL 1

Dom Benedito Beni dos Santos
Vice-presidente do CONSER-SUL 1

Dom Airton José dos Santos
Secretário Geral do CONSER SUL 1


APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS


Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,

- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) o atual governo comprometeu-se a legalizar o aborto,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a descriminalização do aborto até o nono mês de gravidez e por qualquer motivo, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº Congreso, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público como programa de partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,
- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº Congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional ao 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria ministra da Casa Civil como candidata oficial do Partido dos Trabalhadores para a Presidência da República,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, o PT e as lideranças partidárias da base aliada boicotaram a criação da CPI do aborto que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS encarecidamente a todos os cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, que, nas próximas eleições, deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalizacão do aborto.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil” (http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf), elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

 

local original: http://www.cnbbsul1.org.br/index.php?link=news/read.php&id=5742

 

 


Testemunho de Gianna Jessen

AteísmoEnrolando o “povo de Deus”

Dilma está de olho no público religioso. Não tanto a ponto de topar o debate organizado pelas tevês católicas, que ocorreu na segunda (ela alegou que tinha outras coisas na agenda, como tuitar sobre o Pato Fu). Mas o suficiente para dedicar-lhe uma “carta aberta ao povo de Deus” – do qual parecem estar excluídos os não cristãos, a julgar por certos trechos.

Em 2002, Lula precisou tranquilizar o mercado, dando sinais de que não se desviaria do rumo escolhido por Fernando Henrique Cardoso. Agora, Dilma – que já defendeu a legalização do aborto em entrevista à Marie Claire e concebeu o PNDH3, que deixou de cabelo em pé os católicos brasileiros – precisa tranquilizar aqueles que temem, num próximo governo petista, o liberou geral, especialmente em relação ao aborto e à união homossexual. Daí o oportunismo da carta.

Mas, deixando de lado os floreios e elogios que Dilma faz às igrejas, sua profissão de fé e a defesa bem genérica da “família”, seja lá o que isso signifique, de substancial mesmo a carta não tem absolutamente nada. Dilma se compromete a não legalizar o aborto? Não. Diz que vai vetar a união homossexual? Não. A candidata apenas diz que “cabe ao Congresso Nacional a função básica de encontrar o ponto de equilíbrio nas posições que envolvam valores éticos e fundamentais, muitas vezes contraditórios, como aborto, formação familiar, uniões estáveis e outros temas relevantes”. Ou seja, ela simplesmente joga a batata quente para os parlamentares.

Numa coisa a candidata tem razão: nesse tipo de assunto, o Legislativo costuma ter mais relevância. Mas o Executivo, quando quer, também ajuda. Basta ver as declarações do ministro José Gomes Temporão desde que ele assumiu a pasta da Saúde. Lula, que na campanha de 2002 tinha prometido aos bispos brasileiros não mover um dedo para legalizar o aborto, botou na Secretaria Especial para os Direitos das Mulheres uma militante pró-aborto, a ministra Nilcéa Freire. Entre as atitudes da secretaria esteve a criação de uma comissão tripartite para discutir o aborto no Brasil. A CNBB nem foi convidada.

O que muita gente esquece é que, se depender dos parlamentares petistas, os religiosos podem começar a rezar com mais intensidade. Um exercício interessante para quem é contra o aborto ou contra a união homossexual é procurar saber de que partido são os autores das propostas de legalização. Um desses projetos, que permitia o aborto em qualquer circunstância, levou uma goleada nas comissões da Câmara e seria definitivamente arquivado. Mas, usando uma manobra regimental, um deputado recolheu um número mínimo de assinaturas para que o texto fosse levado a plenário mesmo depois de levar bomba nas comissões. O deputado era José Genoíno (e o projeto ainda não entrou na pauta do plenário). Em outro lance recente, o PT puniu dois deputados cujo único crime foi se pronunciar abertamente contra o aborto. Sem espaço no partido, só restou a eles sair e buscar abrigo no PV de Marina Silva.

A atitude de Dilma, de tirar o corpo fora e jogar a responsabilidade para o Legislativo, nem é nova – José Serra fez o mesmo em entrevistas, dizendo que não incentivaria mudanças na lei, mas que isso compete mais aos deputados e senadores que ao presidente da República. Mas o presidente pode influenciar a bancada que lhe dá apoio. Nesses assuntos, Serra e Dilma usariam sua influência em que direção? E mais: supondo que chegue à mesa do presidente um projeto de lei aprovado pelo Congresso que legalizasse o aborto ou a união homossexual, qual seria a atitude de Serra e Dilma? Dar uma de Pilatos e sancionar? Ou vetar, comprando briga com minorias e, talvez, o próprio partido? Essas eram as perguntas que eu gostaria de ter visto respondidas no debate de segunda-feira, mas nem elas foram feitas, nem a autora da “carta ao povo de Deus” estava lá para responder.

Veja aqui a "Carta ao Povo de Deus"

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/caixazero/?id=1039682

 


Ateísmo - breve introdução
A ideologia marxista, contrabandeada da Alemanha há cerca 100 anos, apóia-se no ateísmo. Consideram que a religião é um veneno que atrapalha a humanidade e escraviza o povo.
 
Com base nesta falácia, centenas de brasileiros rebeldes passaram a assumir uma posição de combate à religião. Mas, como acreditam que não devem prestar contas a Deus, mentem e enganam milhares de religiosos para conseguir apoio aos seus projetos. O PT foi fundado por marxistas com grande apoio de católicos que caíram nos erros de serem usados. Hoje os católicos estão percebendo que essa união [pelas causas sociais] era mera tática farisaica: o partido está perseguindo a fé.
 
O Brasil é uma nação que foi fundada cristã, exatamente por isso respeita as religiões e nunca tivemos problemas graves de violência e perseguição religiosa. Mesmo assim, tentando esconder o ateísmo, alguns políticos vem tentando contrabandear da Europa as idéias de um suposto laicismo, com as falácias de que não podemos impor nossa fé.
 
Essa mentalidade vem sendo usada para justificar o combate às religiões com especial dedicação aos cristãos.
 
Claro que todos os esforços dos militantes ateus que controlam o governo precisam ser disfarçados. Oportunamente resolveu-se que a candidata Dilma deveria virar "religiosa" e "católica". 
 
A tática grosseira não enganou ninguém e só tem servido a uns poucos religiosos petistas que se baseiam neste novo posicionamento. 

Nossa senhora 'deusa'?! Coisa da 'cristã' Dilma

Dilma zomba dos cristãos e humilha os bem intencionados equivocados que ainda tentam defende-la como fanáticos.



Perseguição ReligiosaPerseguição religiosa

No Brasil, uma das características de nossa cultura é o respeito às diferentes religiões. Nunca sofremos os dramas comuns por todas as partes do mundo e aqui há não só tolerância mas é frequente o respeito até mesmo entre pessoas das religiões mais antagônicas.
Em nossa terra prosperaram e se solidificaram os valores cristãos que são parte de nossa história e formação. Nesta terra santa, em 5 séculos, sempre houve espaço e respeito às religiões diversas. Mas, apesar destes aspectos que todos conhecemos, há um programa que propõe uma "liberdade religiosa" mas que na verdade não passa de um conjunto de ações ateístas e principalmente anti-cristãs.

Relaciono três aspectos:
- Proibição e caça aos símbolos religiosos são políticas (sob disfarce de laicismo) que já são tradicionais e se vinculam à tradição de nosso país. A ampliação deste tipo de mentalidade obrigaria o estado a mudar, por exemplo, o nome da maior cidade do país. Política esta, aliás, semelhante à destruição de templos e símbolos que outros "comunistas" praticaram, por exemplo, na China, Rússia e outros vários casos.
- Tentativa de "pulverização" da Igreja em programa (já aplicado do PNDH3 sem qualquer análise do Legislativo) que defendia o levantamento "detalhado" do perfil dos religiosos. O objetivo é o enfraquecimento, o método do "dividir para dominar", a afronta e a promoção do enfraquecimento da instituição.
- Proibição da fé e restrição à evangelização - por meio de legislação desequilibrada que tenta inventar união de pessoas do mesmo sexo como algo "sagrado", intocável e censurado em qualquer ação religiosa.


ProstituiçãoProstituição

   A típica ação política dos marxistas (que visam a destruição da ordem e dos valores) é apresentar soluções completamente desconectadas do que defendem.
   A prostituição é um problema grave, geralmente constitui um ato desespero mas em 100% dos casos há uma falha de formação de valores. A busca séria pela solução deste drama - que acaba com a vida de muitas mulheres e crianças - passa pela educação verdadeira, pelo amparo do Estado e pela coação dos agentes deste crime. Os "mercadores" são também aliciadores e seguem o "deus" do dinheiro ignorando os valores mais importantes da humanidade.
   E, curiosamente, não há qualquer debate ou proposta séria pelo partidão, o único ponto em que tocam no tema é: - reconhecimento legal da profissão. Isso permitirá uma coisa que eles dependem: um sindicato para custear parte das campanhas. Mas além disso permitirá a "melhoria" e oficialização da oferta atendendo bem o mercado. Na lógica atual da propaganda deste governo espero que ninguém se surpreenda com a justificativa: "faz a roda da economia girar". É fácil deduzir que logo criariam, além de mais um rentável sindicato para a CUT, uma "agência reguladora" transformando o Estado em cafetão.

* sugiro leitura, por exemplo, do PNDH3.


ditadura gayDitadura Homossexual

   Não tratarei aqui sobre o homossexualismo. Trato sobre o que tem sido feito politicamente explorando o tema.

  É evidente e natural que hajam tratamentos inadequados diante de casos de comportamento excepcionais. Dentre estes tratamentos inadequados um problema sério é a violência. Mas uma violência não é pior que outra. Ocorre que para engrossar a lista das violências "homofóbicas", as ONGs incluem absolutamente qualquer tipo de crime violento contra homossexuais, até mesmo assaltos, e justificam: "em todo crime contra os homossexuais há alguma forma de homofobia". Ao recorrer a isso, reconhecendo o fato, há espaço para a reflexão sobre o tamanho deste problema - o que aumentaria a falta de razoabilidade das leis que vem sendo propostas.

   Ocorre que, apoiada em casos de violência, uma forte militância homossexual tem agido de forma organizada. Os partidos (de linhas marxistas) que pretendem a destruição dos valores aproveitam-se destes militantes e unem o "útil" ao "agradável": promovem a imposição do homossexualismo e tentam criar uma proteção desproporcional a estes.

   Ao promover o homossexualismo, além de contribuir para a redução da fertilidade, para a criação de escravos mais produtivos e mais consumidores de futilidades (sem famílias para criar) e para a destruição da família, consegue-se também a destruição da personalidade e privacidade com o escancaramento da intimidade sexual destes indivíduos.

  Dentre as abusivas ações, que incluem medidas públicas do Ministério da Saúde, constam na Câmara Federal projetos que tornam os praticantes destes atos (que deveriam ser íntimos) em cidadãos especiais. Uma classe nova de pessoas com direitos acima dos demais brasileiros.

 

Vídeo que aborda alguns aspectos do problema de forma clara


Anti-Deus e Anti-Família

Dentre as muitas coisas que o governo e o PT não só omitem como mentem, está a posição ateísta que é parte dos dogmas marxistas.
Afim de aplicar a suposta revolução, acreditam as correntes marxistas que é necessária a destruição dos valores e das instituições religiosas (sobretudo a Igreja Católica) e a família.

Em cada tópico aprofundamos um pouco nas questões. Caso tenha ao final da leitura alguma dúvida, me escreva para que possa melhorar a exposição deste problema sério e verdadeiro e, se necessário, aprofundar mais nas questões.




Projetos de lei em tramitação

Os projetos listados são praticamente em sua totalidade apoiados pelo governo petista. É importante o conhecimento por todos do que estão fazendo com o estado Brasileiro.

 

 

 

Determina sanções às práticas discriminatórias em razão da orientação sexual das pessoas.PLC 122/2006 Dep. Iara Bernardi PT/SP  Equipara qualquer discriminação aos homossexuais ao crime da tortura e terrorismo, inafiançável e imprescritível

Define os crimes resultantes de discriminação e preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem. PL 6418/2005 Senador Paulo Paim PT/RS Bom projeto original  mas o substitutivo ficou igual ao PLC 122/2006

Institui o Dia Nacional do Orgulho Gay e da consciência homossexual.PL 287/2003 Dep. Laura Carneiro DEM/RJ

Cria o Dia da Visibilidade Lésbica PL 2000/2007 Dep. Cida Diogo PT/RJ

Permite aos travestis  utilizaram o nome de guerra ao lado do nome oficial, mesmo sem cirurgia de mudança de sexo. PL 2976/2008 Dep. Cida Diogo PT/RJ e PL 70/95 Dep. José Coimbra PTN/SP que admite a mudança do prenome mediante autorização judicial após cirurgia de alteração do sexo.

Inclui na situação jurídica de dependente para fins tributários, o(a) companheiro(a) homossexual do(da) contribuinte do Imposto de renda de pessoa física.PL 3712/2008 Dep. Maurício Rands PT/PE

Define como crime de tortura o constrangimento com violência em razão de discriminação de gênero.PL 3047/2008 Dep. Sandes Júnior PR/GO

Susta a aplicação do parágrafo único do art. 3º e o art. 4º, da Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 1, de 23 de Março de 1999, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da orientação sexual.PDC 1640/09 Dep. PAES DE LIRA PTC/SP

Estabelece que nenhuma relação entre pessoas do mesmo sexo pode equiparar-se ao casamento ou a entidade familiar. PL 5167/2009 Dep. PAES DE LIRA PTC/SP e Capitão Assunção PSB/ES

Susta os efeitos da Portaria nº 457, de 19 de agosto de 2008, do Ministério da Saúde, que institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), as Diretrizes Nacionais para o Processo Transexualizador.Dep. Miguel Martini PHS/MG

 Isentando de pena a prática de "aborto terapêutico" em caso de anomalia do feto, incluindo o feto anencéfalo, que implique em impossibilidade de vida extra-uterina.PL 4403/2004 Dep. Jandira Feghali PC do B /RJ

Altera o Artigo 128 do Código Penal isentando de punição o aborto quando o feto é anencefalo.PL 4834/2005 Dep. Luciana Genro PSOL/RS e Dep.  Pinotti DEM/SP

 Discriminaliza o aborto no Brasil e autoriza sua prática até 9º mês de gestação.PL 1135/91 Dep. Eduardo Jorge PV/SP e Sandra Starling PT/MG o aborto deixa de ser crime e poderia ser realizado até o nono mês de gestação

 Dispõe sobre a reprodução humana assistida.PL 1184/2003 Sen Lúcio Alcantara

 Altera Art. 10, I da lei 9263 que trata sobre o planejamento familiar. Reduz a idade mínima para esterilização para 21 anos . PL 3326/08 Dep Almerinda de Carvalho DEM/RJ e Dep. Neucimar Fraga PR/ES para 18 anos.

 Reduz a pena de detenção para um ou dois anos em caso de crime de aborto.PL  3673/2008 Dep Pompeu de Matos PDT/RS

Altera o Artigo 128 do Código Penal isentando de punição o aborto quando o feto é anencefalo.PL 4834/2005 Dep. Luciana Genro PSOL/RS e Dep.  Pinotti DEM/SP

 Revogando dispositivo que autoriza a realização do aborto necessário no caso de não haver outro meio de salvar a vida da gestante e no caso de gravidez resultante de estupro. PL 7235/2002 Dep. Severino Cavalcanti PP/PE

Acrescenta um parágrafo ao artigo 126 do Código Penal.” Aplicando pena de reclusão aos casos de abortos provocados em razão de anomalia na formação do feto ou "aborto eugênico". PL 1459/2003 Dep Severino Cavalcanti PP/PE

Inclui como crime hediondo o aborto provocado pela gestante, ou por terceiros, com seu consentimento.PL 4703/1998 Dep Francisco Silva PP/RJ

 Dispõe sobre a assistência à mãe e ao filho gerado em decorrência de estupro.PL 1763/2007 Dep Jusmary PR/BA e dep. Henrique Afonso PT/AC

Institui a Semana de Prevenção do Aborto e dá outras providências. PL 343/1999 Dep. Chico da Princesa PTB/PR  O substitutivo mudou para Semana de prevenção ao Doenças Sexualmente Transmissíveis

Altera a Lei 9250/95 para incluir o nascituro no rol de dependentes que possibilitam dedução na base do Imposto de Renda.PL 1617/2007 Dep Dr. Talmir PV/SP e Dep. Henrique Afonso PT/AC

 Inclui os métodos naturais no programa de planejamento familiar do SUS.PL 1686/2007 Dep Leandro Sampaio PPS/RJ e Dep. Dr. Talmir PV/SP

 Determina que o SUS realize e os planos de saúde cubram despesas com cirurgia de reversão da vasectomia.PL 2464/2007 dep. Henrique Afonso PT/AC e Dr. Talmir PV/SP

 Proíbe a distribuição da Pílula do Dia Seguinte.PL 1413/2007 Dep. Luís Bassuma PT/BA

Tipifica como crime a propaganda e o induzimento ao aborto “legal” Dep. Miguel Martini PHS/MG.

Obriga a impressão de advertência nas embalagens de produtos comercializados para a detecção de gravidez com a impressão das seguintes expressões: "aborto é crime; aborto traz risco de morte à mãe; a pena de aborto provocado é de 1 a 3 anos de detenção". Dep. Miguel Martini PHS/MG.

 Dispõe sobre imagens de sexo na televisão.PLS  5269/2001 Sen Pedro Simon PMDB/RS

 Regulamenta a prostituição como profissão.PL 98/2003 Dep. Fernando Gabeira PV/RJ

 Distribuição de seringas aos usuários de drogas .PL 1692/2007 Dep. Cida Diogo PT/RJ

 Proíbe a veiculação de anúncios de Tele-Sexo nos meios de comunicação. Pl 541/2007 DEP. André Luís PMDB/RJ.

 Estatuto da Família. PL 2285/07  Dep. Sérgio Barradas Carneiro PT/BA Altera 300 artigos do Código Civil

 Altera a Lei 8213/91 para estender o auxílio-acidente às seguradas que tiverem filhos prematuros, em virtude de acidentes de trabalho, desde que demandem cuidados especiais.PL 2090/2007 Dep. Dr. Talmir

Institui o Dia do Nascituro, a ser festejado no dia 8 de outubro.PL 2155/2007  Dep. Dr. Talmir PV/SP

 Dispõe sobre criação de código de acesso telefônico para recebimento de denúncias de abortos clandestinos.PL 2154/2007 Dep. Dr. Talmir PV/SP

Proíbe a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiras nas ações e pesquisa de planejamento familiar .PL 2185/2007 Dep. Dr. Talmir PV/SP

Distribuição de preservativos femininos nos postos de saúde.PL 3088/08 Dep. Cida Diogo PT/RJ

Estabelece como crime o ato de fornecer instrumentos ou fármacos para praticar aborto.PL 2273/2007 Dep. Dr. Talmir PV/SP

Faculta aos pais autorização para matricularem os filhos em educação sexual e religiosa nas escolas.pl PL 42/2007 Dep. Lincoln Portela PR/MG

Dispõe sobre Semana da Família.PL 1080/07 Dep. RODOVALHO DEM/DF aprovado está no SF

Dispõe sobre Estatuto do Nascituro.PL 478/2007 Dep. Luis Bassuma PT/BA e Miguel Martini PHS/MG

Retira a imunidade tributária da industria pornográfica.pec 265/08 Dep. Henrique Afonso PT/AC

 Regulamenta a prática da ortotanásia no território nacional brasileiro. PL-3002/2008 Dep.Hugo Leal PSC/RJ e Dep. Otávio leite PSDB/RJ

 Institui o parto anônimo.PL 2747/08 Dep. Eduardo Valverde PT/RO

 Determina que os ocupantes de cargos que representem o Governo em organizações internacionais sejam previamente aprovados pelo Senado Federal.PL 4274/08 Dep. Miguel Martini PHS/MG

 Estabelece sobre a necessidade da plena capacidade da pessoa para recusar tratamento médico ou intervenção cirúrgica que envolva risco de vida.PL 3208/08 Dep. Miguel Martini PHS/MG

Acrescenta parágrafo único ao art. 81 da Lei nº 9.394, de de 20 de dezembro de 1996, que institui as diretrizes e bases da educação nacional e dispõe sobre o ensino domiciliar. Explicação: Autoriza o ensino domiciliar no ensino básico.PL 3518/078 Dep. Henrique Afonso PT/AC e Miguel Martini PHS/MG

Acrescenta dispositivo legal à Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente - incriminando a apologia à pedofilia PL 2662/07 Dep. Henrique Afonso PHS/MG e Dep. Rodovalho DEM/DF

Legalização dos bingos PL 270/03 Dep. João Dado PDT/SP Aprovado na CFT Relator Dep. Pepe Vargas PT/RS

Altera a Lei Maria da Penha   o PL 4367/08 da Dep. Elcione Barbalho   PMDB-PA, que inclui a agressão praticada por namorado ou ex-namorado, incluindo pessoas do mesmo sexo

    52.  Dispõe sobre a prática cultural nociva do infantícidio indígena PL 1057/07 Dep. Henrique Afonso PT/AC  Esse  PL pune o agente público que se omite ou auxilia a morte  de crianças indígenas que são enterradas vivas por serem gêmeas, filho de mãe solteira, ter alguma deficiência  física ou mental

 

 


PNDH3
O PNDH-3 — Criação de uma Ditadura Marxista no Brasil?

Sinopse: Este projeto é um excelente exemplo de Dialética Hegeliana e novilíngua. Direitos humanos, nesse projeto, significam qualquer coisa que o governo queira que signifiquem e servem como desculpas para revisar todas as leis, censurar toda a mídia, confiscar a propriedade privada e abolir a liberdade de expressão. Com uma canetada, Lula quer implementar a revolução marxista que até aqui escondeu do povo brasileiro.

Autor: Marcos, correspondente em São Paulo, 9/1/2010.

 

(À esquerda, o presidente Lula, do Brasil, e Raul Castro, de Cuba.)

 

Durante os feriados de fim de ano, enquanto os brasileiros descansavam e esperavam a chegada do Ano Novo, o presidente Lula e sua equipe de ex-terroristas esquerdistas e ex-assaltantes de banco, agora ministros de Estado, elaboraram e assinaram um projeto de lei que poderá transformar o Brasil em uma República Soviética.

Em um excelente exemplo de Dialética Hegeliana e novilíngua, o projeto tenta instituir um "Programa Nacional de Direitos Humanos", o Decreto 7037, de 21/12/2009. Direitos humanos, nessa lei, significam qualquer coisa que o governo queira que signifiquem e servem como desculpas para revisar todas as leis, censurar toda a mídia, confiscar a propriedade privada e abolir a liberdade de expressão. Com uma canetada, Lula quer implementar a revolução marxista que até aqui escondeu do povo brasileiro.

No Brasil, tivemos um governo militar no período de 1964 a 1985. O golpe militar impediu que o Brasil caísse nas mãos do comunismo internacional. Dentre todos os regimes militares na América Latina, o brasileiro foi o mais brando. A maioria das pessoas se lembra desse período como uma época de paz e tranquilidade. O Brasil se desenvolveu muito, crescendo a uma taxa de mais de 10% ao ano.

Entretanto, houve um remanescente de terroristas e guerrilheiros comunistas no país. Eles assaltavam bancos, matavam pessoas inocentes a sangue frio e colocavam bombas em locais públicos. Um grupo muito pequeno foi exilado, uma porção ainda menor foi presa, e alguns poucos foram torturados.

Essas são as pessoas que estão no poder agora, e elas querem revanche. Lembre-se que este é o país em que bilhões de dólares foram dados como indenização a pessoas que se sentiram ligeiramente prejudicadas pelos militares. Um homem que perdeu a perna em um ataque à bomba dos comunistas recebeu uma pensão de 150 dólares por mês. O terrorista que explodiu a bomba recebeu 200 mil dólares como "reparação".

O governo quer transformar a oposição terrorista e marxista em uma irmandade de santos. Entre as ações no projeto estão:

  • A revisão de todos os "crimes" cometidos pelos militares, porém uma total anistia para todos os ataques terroristas, assassinatos e assaltos perpetrados pela esquerda.

  • Exclusão dos nomes dos militares envolvidos no governo de todos os locais públicos.

Há um forte ataque ao agronegócio e apoio ao movimento revolucionário marxista do MST (Movimento dos Sem-Terra), a maior parte do qual é formado por ativistas profissionais que não saberiam como plantar um pé de cenoura se suas vidas dependessem disso. Essa organização criminosa, que invade fazendas, mata o gado, mata pessoas, e destrói tratores e as plantações, é financiada pelas Organizações Não-Governamentais com dinheiro público.

  • Criação de "sovietes", ou comitês maoístas, para julgar todas as invasões de propriedades com relação aos "direitos humanos", antes que o Judiciário possa fazer alguma coisa.

  • O ato da invasão automaticamente muda o status de propriedade da terra.

Ações de Lavagem Cerebral Também Estão Incluídas:

  • Revisão dos livros das escolas primárias de acordo com os "direitos humanos", a partir da perspectiva do governo.

  • Financiamento de estudos, materiais didáticos, pesquisas e instituições que endeusem a esquerda durante o período da ditadura militar.

  • Instituição da matéria Educação Moral e Cívica em Direitos Humanos em todas as escolas.

  • Revisão do currículo das academias militares de acordo com a perspectiva dos Direitos Humanos (para destruir as Forças Armadas).

Engenharia Social:

  • Proteção às prostitutas e aos "quilombolas" (uma pessoa que simplesmente declare ser descendente de escravos poderá ter a posse da terra onde o antepassado escravo supostamente viveu).

  • Imposição do casamento entre pessoas do mesmo sexo, leis para o aborto e adoção de crianças por casais homossexuais.

  • Proibição da exibição de símbolos religiosos (como os crucifixos) nos edifícios públicos.

Censura:

  • Criação de um comitê para julgar as concessões públicas das empresas de comunicação de acordo com o padrão dos "direitos humanos".

  • Censura dos programas que desrespeitem os "direitos humanos".

  • Criação de uma classificação das publicações e programas na mídia pela forma como seguem os direitos humanos.

  • Incentivo para toda a produção de mídia que glorifique a resistência da esquerda durante o período da ditadura militar.

O projeto ainda não foi aprovado pelo Congresso. Entretanto, até aqui, quase todos os projetos presidenciais foram aprovados de alguma forma, devido à corrupção.

Conclusão

Pode-se imaginar que o povo estaria nas ruas. Não, o pacífico, dócil e ingênuo povo brasileiro está adormecido. Lula tem um filme sobre sua vida, uma peça de propaganda no estilo de Minha Luta, em exibição em 500 cinemas. Propaganda política desse tipo é proibida. O filme foi financiado por um grupo de empresas, todas as quais foram beneficiadas grandemente por empréstimos e concessões por parte do governo. Agora, os sindicatos marxistas vão começar a pagar para que as pessoas vão aos cinemas para assistir ao filme.

Como escrevi anteriormente em outro artigo, Lula vendeu o Brasil à Nova Ordem Mundial. Ele foi escolhido pela imprensa francesa como "Homem do Ano". Agora, ele está pronto para dar o golpe de misericórdia e trair seu próprio país. O mundo precisa saber e compreender que tipo de homem ele é.

Fonte: http://www.espada.eti.br/pndh3.asp


Ponderações a respeito do III PNDH

No último mês de dezembro, o Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, assinou – sem ler, conforme reconheceu – o decreto que lançou o III Plano Nacional de Direitos Humanos, mal disfarçado projeto de destruição da Tradição Cristã e de implantação de uma ditadura pseudo-socialista no País.

O supracitado programa, que se constitui no mais atentatório ato do presente (des)Governo contra as tradições cristãs e as instituições democráticas pátrias, provocou uma crise política comparável tão somente àquela do “Mensalão”, dividindo mesmo setores do (des)Governo.

O programa em questão principiou a ser debatido em 2008, em assembleias municipais e estaduais e, sobretudo, na chamada Conferência Nacional dos Direitos Humanos, realizada em dezembro daquele ano, sendo discutido internamente pelo (des)Governo durante todo o ano seguinte, sempre sob os auspícios de Paulo Vanucchi, Secretario Especial dos Direitos Humanos  do (des)Governo. Diga-se de passagem que Vanucchi pertenceu à funesta Ação Libertadora Nacional (ALN), grupo terrorista de Carlos Marighella, que promoveu a guerrilha urbana e rural, sequestros, “justiçamentos”, assaltos a bancos e carros-fortes. Também fizeram parte da ALN, dentre outros, José Dirceu, ex-Ministro da Casa Civil de Lula, envolvido no escândalo do “Mensalão”, e Aloysio Nunes Ferreira, Secretário da Casa Civil de São Paulo, Estado cujo Governador, José Serra, oriundo da chamada “esquerda católica” e ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), é - embora seus eleitores “direitistas” e conservadores não saibam - um admirador de Marighella, sendo importante lembrar que está sendo realizada, no “Memorial da Resistência de São Paulo”, no antigo DOPS, sob os auspícios do (des)Governo paulista, uma exposição em homenagem ao célebre “revolucionário” e terrorista baiano, morto em 1969 pela polícia.

Durante a cerimônia em que Lula assinou o decreto que lançou o III Plano Nacional de Direitos Humanos, Dilma Rousseff, Ministra Chefe da Casa Civil e candidata do (des)Governo à sucessão presidencial, não pode conter as lágrimas. Certamente, porém, ela nunca chorou pelas vítimas suas e de seus companheiros da Vanguarda Armada Revolucionária (VAR – Palmares), grupo terrorista de orientação trotskista de que também fez parte o Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e que praticou assaltos a bancos, carros-fortes e residências.

Isto posto, vale frisar que todos os grupos terroristas supracitados jamais lutaram pela Democracia, mas sim pela implantação, no Brasil, de uma ditadura do “proletariado” como as brutais ditaduras de Lênin e Stálin na antiga União Soviética, a de Mao Zedong na China, a de Pol Pot no Camboja e a de Fidel Castro em Cuba. A ALN, por exemplo, afirmava: “Todos nós somos guerrilheiros, terroristas e assaltantes e não homens que dependem de votos de outros revolucionários ou de quem quer que seja para se desempenharem do dever de fazer a revolução” [1].

São bem conhecidos os pontos do Plano Nacional de Direitos Humanos que provocaram tão justo sentimento de revolta na Igreja, no Exército, nos produtores rurais e no povo em geral. Julgamos válido, porém, repeti-los aqui.

III Plano Nacional de Direitos Humanos defende a união civil entre pessoas do mesmo sexo, o tão antinatural “casamento” homossexual, aberração que já era, aliás, defendida no II Plano Nacional de Direitos Humanos, de 2002. Tal projeto, praticamente tão abjeto e antitradicional quanto o atual, foi – assim como o primeiro, de 1996 – produto do (des)Governo de Fernando Henrique Cardoso, o mesmo que multiplicou como nenhum outro a dívida externa nacional, vendeu a maior parte de nossas estatais a preços, no mínimo, irrisórios e criou a indústria das indenizações milionárias a “ex”-terroristas e outras supostas “vítimas” do Governo Militar.

O atual Plano Nacional de Direitos Humanos sustenta, ainda, que o aborto deve ser descriminalizado, afirmando que as mulheres devem ter “autonomia” para “decidir sobre seu corpo”, como se os nascituros fossem parte do corpo materno e não seres humanos em formação. É, aliás, absurda a defesa, em um plano de Direitos Humanos, de uma violação tão grave do primeiro dos Direitos Naturais da Pessoa Humana, que não é outro senão o Direito à Vida, que se inicia no momento da concepção.

Cumpre ressaltar que o Plano Nacional de Direitos Humanos anterior, o segundo elaborado durante o (des)Governo FHC, já estabelecia como meta o apoio a propostas de alteração dos dispositivos do Código Penal brasileiro referentes ao aborto, no sentido de aumentar o número de hipóteses de aborto legal.

Tanto o atual Plano Nacional de Direitos Humanos quanto os dois anteriores pugnam por restrições à liberdade de imprensa e, no que tange à apuração das violações dos Direitos Humanos ocorridas durante o período de exceção iniciado em 1964, o plano em vigor defende a elaboração de projeto de lei que institua a Comissão Nacional da Verdade, cujo mister será o de examinar as “violações de Direitos Humanos praticadas no contexto da repressão política”.

O referido trecho foi alterado, graças aos protestos de Nelson Jobim, Ministro da Defesa, havendo sido a supracitada expressão substituída por “no período fixado no art. 8º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição, a fim de efetivar o direito à memoria e à verdade histórica e de promover a conciliação nacional”.

Isto posto, insta sublinhar que, infelizmente, a alteração ocorrida no documento, embora positiva, foi muito pequena e não afasta por completo a possibilidade de revisão da Lei de Anistia no sentido de punir aqueles que teriam praticado a tortura nos anos que se seguiram ao triunfo do Movimento de 31 de Março de 1964, ideia tão defendida pelos “ex”-terroristas encastelados no (des)Governo, para os quais a Anistia só deve valer para eles próprios. Entre eles está, inclusive, o Ministro da Justiça, Tarso Genro, ex-membro da Ala Vermelha do Partido Comunista do Brasil, que praticou diversos sequestros, assaltos e assassinatos, além de ser defensor do terrorista “italiano” Cesare Battisti.

O supracitado plano contém, ademais, claros ataques ao Direito Natural de Propriedade, que, condicionado pelos deveres do proprietário para com a Sociedade e a Nação, constitui a base da Liberdade humana. Dentre tais ataques, o mais grave, sem sombra de dúvida, é aquele que defende que a expedição, pela Justiça, de mandados de reintegração de posse em propriedades rurais invadidas deveria se dar somente após audiências de conciliação entre os invasores, o Governo e os proprietários. Caso vá adiante tal proposta, aliás condenada tanto por Reinhold Stephanes, Ministro da Agricultura, quanto por Guilherme Cassel, da Reforma Agrária, será muito mais difícil a desocupação de terras invadidas por grupos como o MST, que se aproveitam da miséria e das injustiças para ganhar poder e disseminar sua ideologia espúria,  baseada no ódio, na violência e na desagregação moral, ética e social. 

Por fim, o novo Plano Nacional de Direitos Humanos defende que seja proibida a exibição de símbolos religiosos em espaços públicos, indo, assim, mais uma vez, contra a Tradição do Brasil, Pátria nascida e desenvolvida sob o signo da Cruz.

Poderíamos apontar diversos outros absurdos que constam do referido plano, mas cremos que isto seria por demais fastidioso para todos. Assim, encerramos por aqui o presente texto, sublinhando que defendemos os autênticos Direitos do Homem, decorrentes de sua natureza e não do Estado e que devem estar sempre acompanhados dos Deveres para com Deus, a Pátria, a Família e a Sociedade, assim como ressaltando que rejeitamos integralmente os “Direitos Humanos” do plano do (des)Governo atual. Nosso Projeto Nacional de Direitos do Homem – ao contrário daqueles dos (des)Governos FHC e Lula – é pautado no respeito à Tradição Integral da Nação, bem como à vida e à natureza humana. São estes, pois, os rumos de nossa marcha, que não é senão a marcha do Brasil autêntico, profundo e verdadeiro.

Por Cristo e pela Nação!

Victor E. V. Barbuy


Fórum - As ameaças do PNDH3

Sr. Sepúlveda

 

 

 

Jurista Ives Gandra

 

 

Deputado Paes de Lira

 


Homilia Padre Paulo Ricardo

 

 

Veja também: www.padrepauloricardo.org


Crime Organizado
DrogasPT defende o uso e tráfico de drogas

O PT não combateu como deveria o tráfico de drogas que passa de forma especial pelo país vinda do visinho governado por seu "companheiro vermelho" Evo Morales. Não o fez porque não interessa. A omissão é evidente. Além de contarem com diversos viciados em sua cúpula, defendem escancaradamente não só a liberação das drogas como a descriminalização do tráfico!

Raramente falam de combate às drogas, quando o fazem só tocam no possível tratamento aos viciados (questão meramente eleitoral já que nada fizeram). Mas em uma das raras posições em relação ao tráfico de drogas, quando assinaram (parte importante da cúpula com seus nomes ali listados e assinando, incluindo o presidente e a dona Dilma), tratavam de “discutir” a repressão ao tráfico e uso de drogas. 

Para os que não tiveram tempo, sofrem de analfabetismo funcional ou de preguiça mental e, a exemplo do presidente da república, não leram o PNDH3, segue uma das pérolas do documento:

 

"Realizar debate sobre o atual modelo de repressão e estimular a discussão sobre modelos alternativos de tratamento do uso e tráfico de drogas, considerando o paradigma da redução de danos." (PNDH3 - Objetivo estratégico IV - Sétimo item das "Ações programáticas")

 

Dentre os viciados irresponsáveis da cúpula da quadrilha, destaco um dos militantes a favor de causa própria (quem, afinal, forneceria material para sustentar seus vícios?): Carlos Minc, ministro do “verde” e meio ambiente.

Vejam aqui a forte e claríssima posição do deputado Paes de Lira quanto à atitude deste que tenta lançar na lata do lixo não só este governo como toda a Nação:


Vídeo Carlos Minc e drogas - Dep. Paes de Lira

Atos públicos promovendo o vício

FARC PCC e CVJuiz comprova PCC, CV e FARC

Juiz Federal comprova que PCC e CV tem vínculos com as FARC-EP

 

O juiz federal mais ameaçado de morte do Brasil, Odilon de Oliveira, por prender centenas de traficantes e confiscou seus bens ilícitos no valor de dezenas de milhões de dólares, fez uma declaração bombástica em 2006 sobre os elos das FARC-EP e PCC e CV.

 

Juiz Federal Odilon de Oliveira,só de casa com colete a prova de fuzil
Juiz Federal Odilon de Oliveira,só de casa com colete a prova de fuzil

A irmandade criminosa PCC e CV
A irmandade criminosa PCC e CV

 

Antes que os papaguaios das FARC-EP detonem a credibilidade do juiz federal Odilon de Oliveira, ele é o juiz mais ameaçado de morte do Brasil pela sua atuação contra as quadrilhas internacionais de tráfico de drogas,vive escoltado por agentes da PF e já foi descoberto um plano dentro dos presídios valendo US$ 1 milhão pela cabeça dele. 

Farc ensina seqüestro a PCC e CV, afirma juiz 
Agência Estado (03/07/05) 

O juiz federal Odilon de Oliveira, de Ponta Porã, na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai, obteve evidências da atuação de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no treinamento de bandidos ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e ao Comando Vermelho (CV) para seqüestros. Segundo as apurações de Oliveira, quadrilhas de narcotraficantes do Brasil são os principais clientes da América do Sul na compra da cocaína produzida pela facção colombiana. 

"Um dos treinamentos foi filmado e dá para se ouvir, no vídeo, a voz de um brasileiro", contou o juiz. Seqüestros com fins econômicos garantem uma receita anual de US$ 250 milhões para as Farc, o equivalente a 25% do orçamento da facção.O juiz acredita que a guerrilha colombiana pode estabelecer bases no País para fazer seqüestros,tanto com fins econômicos como políticos. 

"Eles já estão estabelecidos no Paraguai e agora miram o Brasil, onde o potencial para esse crime é maior", disse. "Eles treinam brasileiros lá para agir aqui." A cocaína representa outros 45% da receita das Farc, que produzem 39% da droga colombiana.Segundo Oliveira, os traficantes brasileiros passaram a negociar com a guerrilha a compra da droga, eliminando os intermediários colombianos. A cocaína é levada para o Paraguai antes de chegar ao Brasil. O pagamento é feito em dólares ou armas de guerra. Um exemplo é o bando de 12 integrantes liderado por Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, e Carlos Roberto da Silva, o Charles, que usava sete aviões para levar a droga da Colômbia para o entreposto paraguaio. Ela comprava das Farc e, em menor escala, de produtores da Bolívia e do Peru. A droga entra no Brasil pela fronteira com Mato Grosso do Sul, principalmente pelas regiões de Ponta Porã e Corumbá, e é levada para São Paulo e Paraná, para distribuição no País e no exterior. De acordo com Oliveira, o tráfico por aviões migrou para o Sul por causa da Lei do Abate, que permite à Força Aérea Brasileira derrubar aviões não identificados. 

"A região amazônica é bastante vigiada pelos sistemas de rastreamento de aeronaves." Mas a cocaína também cruza a fronteira de carro e ônibus, em pacotes de 10 a 50 quilos.O juiz lembra que os grandes traficantes deixaram de trabalhar com maconha,preferindo a cocaína, que tem menor volume e grande valor agregado. Mas cerca de 80% da maconha que entra no Brasil sai do Paraguai,onde a produção é dominada por brasileiros. Odacir Antonio Dametto, de Dourados (MS),tem 19 fazendas em terras paraguaias usadas para produzir soja e maconha.Extraditado,está no presídio de segurança máxima de Campo Grande. Outro criminoso que seria extraditado,Igor Fabrício Vieira Machado,comparsa do traficante Fernandinho Beira-Mar, conseguiu fugir de um presídio de Assunção assim que soube do pedido.Teria pago US$ 50 mil para escapar. 

O juiz também tem pistas da ligação de traficantes com o terrorismo do Oriente Médio, a partir da prisão de bandidos de origem árabe,como Joseph e Jorge Rafaat Toumani."Há indícios de remessa de dinheiro para sustentar o terrorismo." 

Segundo Oliveira, o Banco Central apontou Ponta Porã como a segunda cidade do País em lavagem de dinheiro, atrás de Foz do Iguaçu(PR).Ele encheu uma sala de 12 metros quadrados com processos sobre esses crimes. Um dos casos, envolvendo o ex-gerente de banco Elesbão Lopes de Carvalho Filho,revelou a lavagem de R$ 3 bilhões do tráfico. Oliveira o condenou a 172 anos de prisão e multa de R$ 358 mil,a maior pena já aplicada para esse crime. O esquema envolveu somas altíssimas depositadas em contas de laranjas - os principais, como Rodolfo Castro Filho e Pedro Paulo Romero, receberam R$ 1 bilhão em semanas. O juiz suspeita que os laranjas também estivessem a serviço de políticos. 

Ostentação - O traficante Fahd Jamil Georges,o Turco,condenado a 20 anos e 3 meses de prisão e multa de R$ 233 mil pelo juiz federal Odilon de Oliveira, mandou construir uma mansão inspirada na Casa Branca, sede do governo americano,em Ponta Porã (MS).A casa,tem escadarias de mármore de Carrara com corrimão banhado a ouro.Avaliada em R$ 5,8 milhões foi confiscada pelo juiz assim como R$ 2,1 milhões encontrados em uma conta bancária do traficante e outros oito imóveis.Turco era considerado "dono da cidade" e depositava só em uma agência bancária R$ 1 milhão por mês. Andava em Mercedes blindadas, sempre cercado de seguranças. Desde a sentença, publicada no início de junho, está foragido.O juiz acredita que ele se escondeu no Paraguai ou fugiu para o Oriente. Turco comandava uma rede de tráfico que incluía políticos como Landolfo Fernandes Antunes, de Ponta Porã, que está preso. 
 
Endereço original: http://www.e-agora.org.br/conteudo.php?cont=clipping&id=P4170_0_29_0_C


PT e Farc ,antiga relação ideológica

Acusar o PT de vínculo com o narcotráfico, como o fez o deputado Índio da Costa, candidato a vice de José Serra, é um reducionismo indevido que compromete a verdadeira crítica a ser feita ao governo Lula – de vista grossa com a ligação entre o movimento e o narcotráfico.

À essa postura é atribuída uma ação insuficiente no policiamento de fronteira, onde em nome de uma causa política a Farc operam de braços dados com o crime organizado.
 
É a identificação ideológica do PT com as Farc em sua origem que leva o assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, a classificá-la de “movimento insurgente”, quando ela já é considerada um movimento terrorista pela Colômbia, Estados Unidos e União Européia.
 
Qualquer fator que reduza as dificuldades para o trânsito da droga no País tem efeitos nefastos sobre a Segurança, a Educação e a Saúde. O candidato do PSDB, José Serra, ao propor o Ministério da Segurança, procura desvinculá-lo do contexto de promessas de campanha e elegê-lo como uma prioridade a fazer diferença em um eventual governo tucano.
A tolerância do PT com o papel das Farc nesse contexto, no raciocínio do candidato, abre espaço para mostrar que a Segurança, como política prioritária não frequentou a agenda de governo do presidente Lula, a  não ser como uma preocupação admitida, mas insuficiente para dar forma a uma estratégia de Estado para enfrentamento do crime organizado. As Farc integraram até 2002 uma entidade política, o Foro de São Paulo, criada, em 1990, por Lula e Fidel Castro – e inicialmente presidida pelo brasileiro. Depois de 2002, ano do seqüestro da então senadora e candidata à presidência da Colômbia, Ingrid Betancourt, desvincularam-se do Foro, mas continuaram a frequentá-lo informalmente. O objetivo declarado do Foro é debater estratégias para tornar o continente sul-americano socialista, o que é perfeitamente legal.
Essa estratégia, uma vez Lula no poder, está em curso através de uma política externa claramente hostil aos Estados Unidos e ostensivamente tolerante com regimes ditatoriais, como os de Cuba e Venezuela. O alinhamento da Colômbia aos EUA para combate ao tráfico, é fator de tensão com governos vizinhos como os de Chávez e Rafael Correa, do Equador. Não por acaso, o foco maior das tensões é a ação das Farc.(...)
 
(...)Farc no Brasil
Em reportagem publicada no dia 06.06 2010, o Estado de S.Paulo traz depoimento de um ex-guerrilheiro das Farc, que trabalhou 15 anos em território brasileiro. Ele diz que o País “é o melhor mercado para a cocaína na região”. E afirma que, em troca da droga, grupos insurgentes colombianos “recebem armas e insumos”. Essa conexão é que o PSDB quer expor.
 
Ela envolve organizações criminosas como Comando Vermelho e PCC. A fonte do jornal é uma das responsáveis pela venda de cocaína e troca do produto por armas no Brasil. Tinha dezenas de subordinados e morou alguns anos em Manaus a serviço da guerrilha, ocasião em que conheceu o traficante Fernandinho Beira-Mar.
Junto à Polícia Federal, que prendeu um desses traficantes na ocasião, o repórter Rodrigo Rangel apurou que “a base das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), desarticulada em Manaus no mês de maio, é apenas uma pequena ponta da extensa rede que a guerrilha tem mantido no Brasil para vender drogas e abastecer-se de todo o tipo de insumos e produtos – incluindo armamentos, trocados por cocaína com traficantes de São Paulo e Rio.”
 
Ele conta que teve acesso a um relatório sigiloso produzido pela inteligência da Polícia Federal (PF), afirmando que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) violam a fronteira Colômbia-Brasil e usam o território brasileiro para seus negócios. José Samuel Sanchez, o “Tatareto”, apontado como integrante da comissão de logística e finanças da Frente 1 das Farc, foi preso sob a acusação de operar uma base de rádio e de controlar rotas do tráfico de drogas e suprimentos da guerrilha no Brasil. O governo da Colômbia já pediu a extradição do narcotraficante.”
 
Na mesma reportagem, uma fonte da PF admitiu que uma ação mais vigorosa na fronteira esbarra na insegurança do órgão por causa da posição tolerante do governo com o movimento, em razão da política em relação aos países vizinhos.
 
Farc vivem de sequestro, roubo de gado e narcotráfico
A prática das Farcs é essencialmente criminosa. Suas fontes de renda, segundo a Unidade de Informações e Análises Financeiras (UIAF), do Ministério do Interior da Colômbia, são basicamente três.
 
A primeira é a extorsão mediante sequestro. Essa atividade criminosa rende-lhe anualmente US$ 37,32 milhões. A segunda fonte é o furto de gado, estimado em US$ 22,19 milhões anuais.
 
As drogas ilícitas (cocaína, heroína) representam a terceira fonte de arrecadação. Rendem US$ 11,59 milhões e têm duas subvertentes: taxa revolucionária e participação na comercialização. A taxa revolucionária é paga pela produção de folhas de coca (matéria-prima para a elaboração do cloridrato de cocaína) em áreas controladas pela guerrilha.
 
A comercialização direta do cloridrato de cocaína, cuja clientela são os cartéis de refino, rende a bagatela de US$ 3,01 milhões. Anualmente, os produtores colombianos ofertam ao mercado mundial de 250 a 500 toneladas de cocaína. Calcula-se que cerca de 80% da cocaína que circula no planeta é de procedência colombiana. As Farc tornaram-se estratégicas nesse processo.
 
Somadas suas três fontes de receita, o faturamento bruto anual, é de US$ 77,16 milhões. Os gastos com alimentação, uniformes, armas e munições, segundo a mesma UIAF, ficam em US$ 35,63 milhões. Ou seja, sobram-lhes US$ 41,53 milhões. Empreendimento, sem dúvida, dos mais rentáveis.
 
No Brasil, são notórias as ligações das Farc com organizações criminosas (Comando Vermelho, PCC), às quais treinam e vendem armas e drogas. Um de seus interlocutores era Fernandinho Beira-Mar, que está preso.
 
Nada disso, porém, constrangeu a presença de gente das Farc no Foro de São Paulo. O desligamento formal não impediu que representantes daquela milícia se fizessem presentes. Na última reunião do Foro, no Uruguai, havia um representante seu.
 

 


TerrorismoMetodologia - MATAR

O vídeo abaixo mostra a alegria e descontração com que tratam sobre a metodologia terrorista.

 


A dama de vermelho
Mais uma parte da história escondida a todo custo ou camuflada.
Certa vez um inocente manipulado, sem pensar, declarou: "Era uma heroína que lutou contra a ditadura". Ignorava ele que a questão não era lutar contra o regime militar, mas pela implantação de uma ditadura violenta.

Democracia ou ditadura? - Rebeldes armados

Devemos prestar homenagem aos que falam a verdade. Aos que assumem mesmo os absurdos.

Já tive que aguentar fanáticos falando que a senhora Dilma lutou pela pátria e pela democracia, aqui, no vídeo abaixo, um guerrilheiro conhecido encerra o assunto:


Dilma tenta blindar passado terrorista

MENTIRA:

“O meu caso não é de ação armada. O meu caso foi de crime de organização e de opinião“, descreve a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, sobre a sua participação na guerrilha ( Folha de S. Paulo, em 18/04/2009).

A VERDADE:

 

  • A ministra Dilma Rousseff foi militante do Colina e da VAR-Palmares,  ambas organizações clandestinas que escolheram a luta armada na luta contra a ditadura militar.
  • Reportagem da Revista Veja ,de 15/01/03, contou um trecho dessa história:
  • ” No atual governo, há dois ex-guerrilheiros com posto de ministro de Estado. Um é o ex-presidente do PT, José Dirceu, ministro da Casa Civil, cuja trajetória política é bastante conhecida. Foi preso pelo regime militar, recebeu treinamento de guerrilha em Cuba e, antes de voltar às escondidas para o Brasil, submeteu-se a uma cirurgia plástica no rosto para despistar a polícia. O outro integrante do primeiro escalão com passagem pela guerrilha contra a ditadura militar é a ministra Dilma Rousseff, das Minas e Energia — mulher de fala pausada, mãos gesticuladoras, olhar austero e passado que poucos conhecem. Até agora, tudo o que se disse a respeito da ministra dava conta apenas de que combatera nas fileiras da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, a VAR-Palmares, um dos principais grupos armados da década de 60. Dilma Rousseff, no entanto, teve uma militância armada muito mais ativa e muito mais importante. Ela, ao contrário de José Dirceu, pegou em armas, foi duramente perseguida, presa e torturada e teve papel relevante numa das ações mais espetaculares da guerrilha urbana no Brasil — o célebre roubo do cofre do governador paulista Adhemar de Barros, que rendeu 2,5 milhões de dólares”.
  • Além deste roubo milionário, cujo fruto teve destino incerto e representa símbolo de corrupção na luta armada contra a ditadura, Dilma participou de muitos outros. Só em 1969, prossegue a matéria da Veja, ela organizou três ações de roubo de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro.
  • Em entrevista à Revista Piauí, a própria Dilma revelou uma de suas atividades na VAR-Palmares. Esta em parceria com Maria Celeste Martins, hoje sua assessora:
  • “Eu e a Celeste entramos com um balde; eu me lembro bem do balde porque tinha munição. As armas, nós enrolamos em um cobertor. Levamos tudo para a pensão e colocamos embaixo da cama. Era tanta coisa que a cama ficava alta. Era uma dificuldade para nós duas dormirmos ali. Muito desconfortável. Os fuzis automáticos leves, que tinham sobrado para nós, estavam todos lá. Tinha metralhadora, tinha bomba plástica. Contando isso hoje, parece que nem foi comigo“.
  • Ainda na matéria da Piauí, é relembrado que quando foi presa, Dilma estava armada.
  • Agora, a ex-ministra Dilma fala como se a ação armada nem tivesse sido com ela.
  • Em seu blog,  Reinaldo Azevedo desvenda a tentativa de blindagem do passado de Dilma Rousseff:
  • Pergunta 1 -  O que ela “organizava”?
  • Resposta – A VAR-Palmares.
  • Pergunta 2 – E a VAR-Palmares organizava o quê?
  • Resposta - Lembro só algumas coisas, que muitos pretendem chamar “resistência” – e que eu chamo “terrorismo”:
  • 01/07/1968 – A execução de Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen, major do Exército alemão (na verdade, morto pela Colina, grupo que depois ajudou a formar a VAR-Palmares. Em 1968, Dilma era do Colina);
  • 12/10/1968 – Execução de Charles Rodney Chandler, capitão do Exército dos EUA;
  • 31/03/1969 – assassinato do comerciante Manoel da Silva Dutra, durante assalto ao Banco Andrade Arnaud, no Rio. Carlos Minc estava no grupo.
  • 11/07/1969 - Assassinato de Cidelino Palmeiras do Nascimento, motorista de táxi (conduzia policiais em seu carro), decorrência do assalto ao Banco Aliança;
  • 18/07/1969 – Roubo do “Cofre do Adhemar”. O dinheiro nunca apareceu;
  • 24/07/1969 – O assassinato do soldado da PM-SP Aparecido dos Santos Oliveira, decorrência de um assalto a uma agência do Bradesco, de que a VAR-Palmares fez parte;
  • 22/10/1971 – Assassinato de José do Amaral, suboficial da reserva da Marinha;
  • 05/02/1972 – Assassinato de David A. Cuthberg, marinheiro inglês, de 19 anos, que visitava o Brasil com sua fragata. Quatro membros da VAR-Palmares estavam entre os executores. Crime do rapaz: seu uniforme representava o imperialismo inglês…
  • Agora que você conhece fatos sobre o passado de Dilma Rousseff na luta armada,  fique esperto.  Informe seus amigos e conhecidos da verdade. Não deixe a mentira prevalecer.

Fonte: http://www.gentequemente.org.br/2009/06/24/dilma-tenta-blindar-passado-na-luta-armada/

 


Crime organizado

A relação entre o PT e grupos armados "revolucionários" é parte da ligação entre este e as drogas.

Apoiando-se nas noções marxistas de que os valores morais são burgueses e devem ser combatidos, não só ignoram os direitos básicos de qualquer sociedade como o respeito à vida. Os grupos guerrilheiros que atuam hoje (PCC, FARC e CV) não são meros bandos de traficantes, o tráfico de drogas é mero meio de obter dinheiro para sustentar a "revolução"; da mesma forma que sequestros e os assaltos a bancos e residências. Todos estes bandos seguem rigorosamente os métodos e noções ideológicas contrabandeadas, tal como os violentos grupos dos quais participaram figuras que hoje vivem patrocinadas pelo Estado tais como Dilma Rousseff, José Dirceu e companhia.

Contra este absurdo TODAS as instituições deveriam se mobilizar. Ao aceitar isso estamos lançando no lixo todos os valores mais importantes que baseiam a sustentação e o desenvolvimento de nossa nação.

A seguir detalhamos este aspecto.






Veja também

 


Política
AliançasAlianças - Farisaismo

O partido dos "trabalhadores" sempre foi crítico ferrenho de alianças políticas diversas. Mas se sustenta hoje exatamente nas alianças mais grosseiras, tendo arrastado até mesmo partidos cujos membros tem posições e histórico contrários ao PT, como o PTC, por exemplo. Somam-se na aliança do oportunismo farisaico partidos que, como testemunham os membros, se coligaram ao PT sem consultas quaisquer.

Chega a ser motivo de piadas as alianças com os "coronéis" e setores duvidosos do PMDB, simbolizados pela figura do ex-presidente José Sarney. A aliança com Paulo Maluf e o PP e até mesmo com Fernando Color de Melo. O PR (ex-Partido Liberal e PRONA) que tem como mérito principal desta campanha a piada de mau gosto e afronta ao Estado: Tiririca.

Coerência?

Além destes estão aliados o Partido Comunista do Brasil que resolveu recorrer a artistas "puxadores" [de samba e de votos],  o PSB - que tapeou o deputado Ciro Gomes e alguns outros que se alinham mais naturalmente ao partidão. 

Os partidos marxistas radicais declaram e esbravejam ódio, mas, nos fim das contas, são todos sócios da quadrinha internacional. 

* abaixo um comentário de Arnaldo Jabor - com citação da Bíblia


Lula e Sarney

A falsidade da propaganda oportunista


Defesa e Forças Armadas
'Revolução' bolivariana
AeronavesAeronaves

A promessa constantemente renovada de renovação dos caças brasileiros é apenas uma das manobras de tapeação das Forças Armadas cometidas pelo governo.

Passados praticamente 8 anos, nada foi resolvido e só vimos demonstrações de despreparo do governo. Chegamos ao ponto de ter ver a declaração do presidente com a decisão política e definitiva pela compra dos caças franceses. A grosseria foi tamanha que rapidamente retirou-se a posição.

Enquanto enrolavam, articulavam e implantavam a tentativa de subordinação das Forças aos "técnicos" "especialistas" petistas.

Estão brincando com fogo.


CanhãoO Canhão é nosso!

O processo de emburrecimento e destruição da cultura promovido pelos "revolucionários" disfarçados de professores (sobretudo de história) contamina há décadas as mentes dos brasileiros. O grave é quando os ignorantes se aliam aos inimigos que querem a promoção da destruição de nosso país e passam a apoiar ações de Estado que são atentados à Nação.

Entre demonstrações vergonhosas destes fenômenos estão as declarações do atual governo federal (PT) em disposição de devolver o canhão "El Cristiano" ao Paraguai: que fora capturado depois de grande e heróica reação nacional contra o sanguinário invasor do Brasil.

Mais informações importantes:

http://www.ocanhaoenosso.com.br/


Destruição das FAA SOVIETIZAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS
29/08/2010
 
Os movimentos do PT e sua conspiração totalitária de forma alguma estão confinados ao rosário de mentiras institucionais em torno do projeto eleitoral de perpetuação no poder. Esses episódios em torno do vazamento dos dados da base da Receita Federal, gravíssimos em si, nada são perto do que estão fazendo para preparar o tempo do poder total. Refiro-me aqui às modificações que foram introduzidas na estrutura do ministério da Defesa e na criação do Estado-Maior das Forças Armadas por lei recentemente, agora recheado de “assessores” civis. Bem sabemos que o coração das estruturas militares é a sua linha de comando clara, que tem no topo um chefe preparado e respeitado dentro da instituição. Quebrar essa hierarquia personificada, que tem nome, por órgãos colegiados e sem rosto, é algo próprio da ideologia comunista.
 
A minha surpresa foi ver a passividade com que a alta hierarquia militar engoliu o fato. É a própria destruição das Forças Armadas que está em curso. É o aparelhamento da estrutura militar, sua sovietização. Finalmente o PT deu o passo mortal para fundir o partido com a estrutura militar, fato que já havia conseguido com demais órgãos e carreiras de Estado. O caso citado de vazamento de dados apenas nos deu um exemplo à luz do dia do que significa essa união partido/estado. É o totalitarismo com todas as letras. A nova estrutura aprovada prepara o caminho para o passo final. A carapaça do Exército de Caxias foi finalmente quebrada e a estrutura de comando diluída.
 
Chamo a atenção para o artigo publicado na revista Isto É (Jobim vai à guerra), única publicação que ousou comentar a gravíssima inovação. O jornalista Hugo Marques sintetizou tudo no primeiro parágrafo da matéria:
Ao anunciar a nova estrutura das Forças Armadas, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, declarou guerra à caserna. Além de subordinar ainda mais os militares ao poder civil, o projeto prevê a redução de postos de comando, transfere o controle sobre as compras de materiais das três Forças e alija os militares de todas as decisões políticas. Se custaram a digerir a criação do próprio Ministério da Defesa há dez anos, os oficiais do Exército, da Aeronáutica e da Marinha agora terão de engolir uma pílula ainda mais amarga. Na opinião de generais ouvidos por ISTOÉ, o abalo maior atingirá o Exército. Um deles, com posto de chefia no comando do Exército, afirma que as mudanças impostas por Jobim serão funestas para os quartéis. “O foco dessa reorganização é a retirada de poder das Forças Armadas. Militar vai virar enfeite”, revolta-se”.
 
Se Jobim (leia-se: o PT) declarou guerra às casernas, estas não tiveram nenhum poder de fogo para dar resposta. Nenhum movimento, nenhum abaixo asssinado, nenhuma revolta. Nossos generais estão emasculados, omissos, acovardados diante da ousadia revolucionária. A passividade da geração que está no comando das Forças é total. Estão indo para o matadouro como ovelhas, sem gemer. Nessa viagem macabra estão levando junto todo o povo brasileiro, a quem elas têm a missão contitucional de defender. Ninguém pediu demissão, agarrados como carrapatos a seus carguinhos. Estamos como a Wermacht prussiana diante de Hitler. Deu no que deu. As Forças Armadas viraram a guarda pretoriana dos verdugos do povo no poder.
 
Dilma eleita com essa estrutura vigorante o PT terá a faca e o queijo nas mãos para instutir o totalitalitarismo. Não terá oposição eficaz de espécie alguma. Quem viver verá.
 

Endereço original: http://www.nivaldocordeiro.net/asovietizacaodasforcasarmadas


Fronteiras
EconomiaNunca antes na história deste País - Economia

Nunca antes na história deste País:

- o povo ficou tão endividado;

- servidores e aposentados tiveram seus salários diretamente subordinados aos bancos;

- as empresas remeteram tantos bilhões para fora;

- os bancos lucraram tanto;

- pagamos tantos impostos;

- a indústria nacional tão foi convertida em etiquetadora de produtos chineses;

- operários e técnicos estrangeiros tiveram tantos empregos aqui;

- empresas nacionais investiram tanto lá fora;

- os fundos previdenciários foram tão usados politicamente;

- investimos tanto em infra-estrutura de outros países;

- re-exportamos tantos produtos chineses;

- fomos tão submissos à Bolívia;

- incentivou-se tanto as montadoras estrangeiras;

- a classe média foi tão esmagada.


Bancos - outra demissão

Indignação contra os bancos. Algum militante petista tem o que comentar sobre o problema bancário?

 

 

Sim, a jornalista foi demitida.


Quantos milhões saíram da 'pobreza'?
 
Sabe qual o critério para avaliação da pobreza? A renda diária em dólar - sim, um absurdo. Considera-se que abaixo da pobreza estão aqueles com renda diária abaixo de um dólar.
 
Façamos, então, algumas contas:
 
Tomemos um suposto cidadão José da Silva que estava na linha da pobreza em 2002, com U$0,45 (quarenta e cinco centavos de dólar);
 
Agora, em 2010 ele estaria com renda acima de um dólar;
 
Como fazer isso sem qualquer ação direta e sem mudar em nada a vida do indivíduo? Mudando o câmbio.
 
O dólar em 2002 chegou em torno dos R$4,00. Vamos tomar um valor abaixo para o exemplo: R$3,90
O dólar hoje: R$1,73
 
Renda do José da Silva hoje: U$1,01
 
Fácil?
Quantos milhões entraram nesta conta? Quando alguém vai ter coragem de calcular isso?

Erros típicos dos ‘especialistas’ - 'roda da economia' e 'distribuição' de renda

A fantástica roda da economia

Dentre os raciocínios mais apresentados pelos marxistas “modernos”, está a tal da fantástica roda da economia. Basta girar e pronto, todos ficam ricos e há igualdade automática. Falam como se fosse uma roda mágica, como se tivessem descoberto a própria roda e todas "as elites inimigas do povo" sempre esconderam tanta inteligência por pura maldade.

Raciocínio, é claro, típico de adolescentes que ainda não tiveram contato com o trabalho. O problema é que alguns levam isso até a maturidade e ficam teimando no abuso deste raciocínio. Raciocínio daqueles que não conhecem e não respeitam a produção e o trabalho produtivo. Que nunca pensaram seriamente em todos os aspectos que vem antes da produção e também não conseguem ver o que se segue como necessidade de expansão. Raciocínio que levou em todo o mundo milhares de empreendimentos e negócios à ruína. Raciocínio que lança no atraso da idéia da “roda mágica” que pensam ser eterna e perfeita. Não conseguem ver o desgaste da roda, muito menos a necessidade de substituição das peças e necessidade de desenvolvimento de novas ferramentas. Não conseguem ver sequer a necessidade da construção da roda.

Atrapalhados por este raciocínio, são incapazes de apoiar o desenvolvimento de ferramentas. São incapazes de perceber que a distribuição artificial de dinheiro só beneficia no médio e longo prazo um pequeno comércio e a maior centralização da renda.

 

 

Endividamento médio

Para girar a roda mágica bastam medidas "geniais", como o endividamento do povo. A escravização para os banqueiros nunca foi tão incentivada, aliás, "o brasileiro tem uma dívida pequena em comparação com o norte americano cuja dívida média é superior a sete anos de trabalho" "há um mercado enorme a ser explorado no Brasil".

Enquanto coloca a corda no pescoço do povo para poder ter uma inflação de estatísticas (imediatismo eleitoral), os principais financiadores do PT (bancos) ficam satisfeitos. Os "economistas" fazem vistas grossas, afinal o que importa é o suposto PIB.

 

 

‘Distribuição’ de Renda

O que adianta um município pobre e sem trabalho ter uma grande parte de cidadãos recebendo dinheiro sem produzir se este vai direto para o comércio? Este comércio será abastecido em outro comércio (em geral o município cai em queda constante até mesmo da mínima produção de vegetais), que está nos centros urbanos. Metade dos alimentos comercializados estão na cidade de São Paulo e é ali que ficará de fato a maior parte da renda, uma segunda parte com o transportador e outra para o dono da venda (muitas vezes em situação de oligopólio). Neste caso (que tem ocorrido muito sem atenção devida por parte do estado e da imprensa), o cidadão torna-se cada vez mais dependente de bolsas de assistência. A tal "roda da economia" falha.

Não há renda sem produção e trabalho. Só há remendos. Sem o fomento sério e organizado das atividades econômicas e da educação, as bolsas tem efeito negativo a médio e longo prazo.

 

 


Bolsa Família

O vídeo explica um dos problemas muito bem:

 

 


Leia também sobre a "distribuição" de renda.


Ética
Aparelhamento
Mensalão
Terceiro mandatoLula 'conquista' terceiro mandato

QUINTA-FEIRA, 26 DE AGOSTO DE 2010

Lula "conquista" terceiro mandato na campanha de Dilma

 
Claudio Leal, Terra Magazine


“O elevador despeja Lula e Dilma Rousseff no saguão do Hotel Jandaia, em Campo Grande, a minutos do primeiro comício da campanha petista no Mato Grosso do Sul. Um homem enlaça o presidente nos braços, suplicante por uma foto.

- Eu e você? - pergunta Lula. - Vai dar capa de Playboy!

Confira o vídeo da "loucura coletiva" na passagem de Lula e Dilma por Campo Grande (MS)

De barriga estufada na camisa goiabera, o pernambucano desliza as mãos na fileira de admiradores e observa a centena de pessoas nas bordas do Jandaia. "Vamos lá", avisa aos seguranças. Os flashes iluminam em Dilma um olhar secundário, de quem o acompanhará no mergulho à histeria armada desde a manhã na rua Barão do Rio Branco.

- Lulaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Crianças com balões vermelhos tocam o presidente, mulheres acarinham a bochecha, homens puxam as mangas da camisa, oferecem o pantaneiro licor de Piqui. Responsável pela guarda presidencial, o general Gonçalves Dias olha para trás e convoca reforços. Lula, nem liga.

- Lulaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Dilma tenta encontrar um lugar na azáfama, na histeria, numa cena que define a sucessão nas ruas, do ABC paulista a Garanhuns (PE). Lula "conquista" o terceiro mandato nas viagens com a sua favorita. E transcende a política. Olhos neutros, vidrados no presidente, a garota balbucia, implora:

- Lula... Lula... Lula... Me abraça...

Como não obtém sucesso e vê a estrela se distanciar, conforma-se com a candidata:

- Dilma, toque a minha mão!

A euforia com a popularidade do ex-líder metalúrgico, transbordante em seus 80%, se repete em outras cidades brasileiras percorridas por Dilma, em sequências não captadas pelas lentes das principais emissoras televisivas. Em Mauá (SP), na dispersão do comício, um homem se junta aos jornalistas na bisbilhotagem por uma fresta do tapume:

- Olha o Lula descendo do carro! É ele mesmo. Descarado! Olha o Lula... Eta safado... Olha o Lula, está vindo ali! Que cara de malandro... Lula! Lula! Lula!

Em Campo Grande, o motorista de táxi Éberson sorri ao lembrar do presidente ironizando o uso de sua imagem pelos adversários.

- Era pra Lula continuar, bicho. Mas infelizmente não pode. Por isso voto na Dilma, porque sei que Lula vai continuar lá, mandando.
Retorno à porta do hotel.

- Lulaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Mais fotos, beijos, poses com crianças, mãos entregues a anônimos. Apenas um ou outro grito tímido:

- Dilma, futura presidenta!

A candidata retorna às costas do presidente, na poeira da glória. Lula e Dilma embarcam numa van branca, lado a lado - e a histeria prossegue, atiçada pelo barulho dos batedores e das sirenes. Lula respira e, pela janela do carro, responde a Terra Magazine se sentirá saudade do clima das ruas nas batalhas eleitorais:

- Eu, saudade? Mas vou ter campanha de dois em dois anos! - e sorriu para dentro.

Na avenida Fernando Corrêa da Costa, centro de Campo Grande, ele completará o show, desta vez com mais risos que gritos, ao saudar os "companheiros que estão soltando esses foguetinhos fracos" na hora do discurso do "Lulinha".

Tac, Tac, Tac! Isso é pra candidato em final de mandato. Lulinha merece mais... Tac! Tac! Tac! Deus que me livre!”
Foto: Roberto Stuckert Filho, Reprodução

Fonte: http://saraiva13.blogspot.com/2010/08/lula-conquista-terceiro-mandato-na.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

 


Marxismo
Foro de São PauloA 'pátria' latina, união comunista e Foro de SP - por Lula e Dilma

Aos militantes petistas que negam cegamente, a verdade INQUESTIONÁVEL:

 


Entrevista e crítica

Alguma coisa sobre o problema "Foro de São Paulo" e um pouco mais:

 


Infiltração sindicalSindicatos infiltrados

Sindicatos servem para defender os interesses dos trabalhadores e principalmente defender os mesmos contra abusos e injustiças no trabalho. Mas há décadas os sindicatos foram tomados pelos marxistas que usam estas estruturas (que tem dinheiro público) como bases de atuação partidária. 

Por toda parte são vistos profissionais envergonhados com seus sindicatos. Praticamente todos os sindicatos precisam de urgente e ampla reforma.

O vídeo abaixo é só mais uma pequena (mas muito clara) demonstração do que se faz em nome dos interesses políticos. Milhares de alunos sem aula - os professores de verdade (e não militantes) são proibidos de lecionar em vários casos. Queriam algo? Nada que fosse do interesse dos professores ou que tivesse qualquer fração de interesse pela Educação.


Marx está morto!

Por Victor Emanuel Vilela Barbuy

 

O século XIX foi o século burguês por excelência. Foi o apogeu desta civilização inautêntica cujo cadáver carregamos hoje e caracterizada pela crença inabalável nos mitos do progresso indefinido [1], do cientificismo, do tecnicismo e do economicismo e por um imperialismo fundado no poderio econômico e militar e justificado pela crença supostamente científica na superioridade irredutível de determinados povos sobre outros.

O século XIX foi marcado, assim como o século que o precedeu, pelo progresso técnico, econômico e científico e pela decadência moral, ética e social; pela absurda ideia de que se constrói o futuro rejeitando o passado e de que o Homem de então era superior a seus antepassados, ideia ainda seguida por aqueles que não percebem que não há verdadeiro progresso sem Tradição e de que não se torna uma Nação maior vilipendiando a memória daqueles que a fundaram.

O século XIX foi o século, por fim, das visões unilaterais do Universo e do Homem; da rejeição de toda ordem transcendente; das legislações inautênticas, avessas aos espíritos nacionais, às constituições não escritas que são as tradições integrais das nações; do destronamento de Cristo e da entronização do dinheiro, do número e da máquina.

Ninguém representa melhor o século XIX do que Karl Marx, o eterno burguês, defensor do materialismo absoluto, que acreditou como poucos nos mitos do cientificismo, do tecnicismo e do progresso indefinido, tudo explicou pelo fator econômico, e foi um homem profundamente racista e etnocêntrico e um apologista do imperialismo, do mesmo imperialismo que seus discípulos, a partir de Lênin, tanto condenariam, a despeito de praticá-lo com impressionante brutalidade.

As concepções de Marx são, como ressalta Giovanni Gentile, concepções rigorosamente econômicas e materialistas para as quais "tudo aquilo que é humano é econômico, e ninguém tem o direito à existência se não é [economicamente] útil" [2], não atentando para o fato de que o fator "econômico não é humanidade, mas instrumento do homem", sendo útil tão somente enquanto serve a este [3]. Com efeito, como aduz Carl Schmitt, emO conceito do político, o sistema marxista é um sistema antes de tudo econômico, intentando pensar economicamente e permanecendo, por conseguinte, "no século XIX, o qual é essencialmente econômico" [4].

Nascido Moses Kiessel Mordechai Levi Marx a 5 de maio de 1818 na bucólica cidade renana de Trier, também conhecida como Trèves, seu nome francês, o futuro criador do socialismo "científico" era descendente, tanto pelo lado materno quanto pelo paterno, de importantes rabinos e talmudistas. Seu pai, o advogado Hirschel Marx, se converteria ao protestantismo, juntamente com toda a família, exceto a esposa, em 1824, mudando o nome para Heinrich em virtude das restrições então impostas aos não protestantes em geral e aos judeus em particular no Estado prussiano. Este, que anexara a católica Renânia após o Congresso de Viena, em 1815, reservava os cargos públicos aos protestantes, sendo que o pai de Marx era advogado do Estado.

Criado na Igreja Evangélica Prussiana, de orientação luterana, e ateu desde a juventude, após uma fase em que aparentou ser um cristão fervoroso, Karl Heinrich Marx, nome que recebeu ao ser batizado, foi, porém, como observa o intelectual anarquista judeu Bernard Lazare, "um talmudista lúcido e claro a quem as minúcias da prática não traziam qualquer embaraço. Um talmudista que se devotou à sociologia e aplicou as suas qualidades de exegeta à crítica da economia política animado pelo antigo materialismo hebraico" [5].

Marx foi o criador de uma ideologia essencialmente burguesa e somente compreensível enquanto fruto da árvore da burguesia, ideologia inautêntica que subsiste graças tão somente a seu caráter religioso [6]. Neste sentido, preleciona Heraldo Barbuy emMarxismo e Religião:

"Dentre as afirmações do marxismo, algumas são inverificáveis; outras, puderam ser confrontadas com a experiência e foram pela experiência refutadas. Mas no marxismo, tanto as proposições inverificáveis, quanto as que foram refutadas pela experiência, funcionam como um sistema religioso. As críticas racionais e a contestação do marxismo pelos fatos, têm sido completamente inúteis em face da eficiência que o sistema tira de seu caráter religioso" [7].

Ao contrário dos sistemas científicos, que perdem a vigência a partir do momento em que deixam de coincidir com a realidade, "os grandes credos coletivos não vivem", como observa o autor deO problema do Ser, "pela força de suas supostas verdades ou erros científicos, e sim pela fé que despertam" [8].

Como diria Guerreiro Ramos, em artigo publicado no Jornal do Brasil a 25 de novembro de 1979, o marxismo é "um culto popular", que "não é teoria nem ciência". O marxismo, afirma o sociólogo baiano, "é a mais influente força obscurantista da história contemporânea, que dificulta o esforço de ordenamento da vida nacional e internacional. Nos chamados regimes socialistas, onde o marxismo prevalece como ortodoxia, reina o obscurantismo e a chatice" [9].

O autoproclamado socialismo "científico", aliás cem vezes mais utópico do que o socialismo a que os marxistas denominam "utópico", é uma religião inautêntica que tem em Marx o seu profeta, em O Capital e no Manifesto Comunista seus livros sagrados, no proletariado seu "povo eleito" e no comunismo seu paraíso.

Também é uma religião o bolchevismo, como, aliás, bem notou Plínio Salgado, que, em O sofrimento universal, sublinhou que a luta que este abrira contra as religiões no país dos sovietes fora "um movimento ao qual podemos denominar sem receio de erro:o grande movimento religioso da Rússia" [10].

O caráter religioso do bolchevismo, ainda mais pronunciado que o do próprio marxismo, se dá sobretudo em razão da influência que este recebeu do espírito profundamente místico da Santa Rússia e de seu povo.

Isto posto, insta ressaltar que o bolchevismo constitui, em diversos aspectos, - como o voluntarismo, o antiimperialismo e a ideia de que o partido comunista se constituiria na vanguarda do proletariado, incapaz de fazer a "revolução" por si próprio - a própria negação das ideias de Marx, um determinista que acreditava que a massa faria a "revolução" por si mesma no momento em que chegasse ao limite a exploração capitalista e, além disso, um defensor do colonialismo. Além do mais, o bolchevismo, ideologia em que se pode sentir algo do cheiro da terra da pátria de Ivã, o Terrível, e de Pedro, o Grande, bem como do sangue e do suor de seu sofrido povo, foi, em diversos momentos, usado como mero instrumento do expansionismo russo, do mesmo expansionismo que Marx – homem profundamente russófobo – tanto temia e condenava. Por ironia do destino, o nome do pensador antipan-eslavista e antitsarista de Trier serviu de bandeira de luta para os tsares vermelhos doKremlin, que, em nome do socialismo "científico", praticaram a política pan-eslavista e perseguiram o sonho de realizar, por meio da III Internacional, o antigo mito da Terceira Roma.

***

Nietzsche viu no Cristianismo uma religião de escravos alicerçada no ressentimento, na inveja e no ódio por tudo aquilo que é grande e belo. Nós, por nossa vez, consideramos – da mesma forma que Max Scheler [11]– que o magno poeta-filósofo de Assim falava Zaratustra jamais compreendeu o verdadeiro sentido do Cristianismo, que é, com efeito, praticamente o contrário daquilo que julgava ser. Ou melhor, cremos que em certos momentos o profeta do Super-Homem até compreendeu, ainda que não integralmente, a mensagem de Cristo, julgando, porém, que ela houvesse sido deturpada por Paulo, a quem se referia como "o ódio de chandala encarnado, feito gênio, contra Roma, contra 'o mundo'", "o judeu, o eterno judeu par excellence" [12].

Isto posto, afirmamos que tudo aquilo que o autor de O anticristoe de A genealogia da moral escreveu contra o Cristianismo, ou contra aquilo a que denominava "cristianismo de Paulo", cai como uma luva para a fé antinatural criada por Marx, o eterno burguês, que se baseia no ódio de morte a tudo aquilo que é superior e nobre.

Marx e Nietzsche partiram ambos da dialética senhor-escravo. O autor de A ideologia alemã defendeu os escravos e seu modelo de Homem é o homo oeconomicus, o mesmo homo oeconomicus de seus mestres liberais Adam Smith e David Ricardo. Já o autor deVontade de poder defendeu os senhores e, inspirado no "Único" de Stirner e no "Homem do Futuro" de Wagner, engendrou o Super-Homem, o Além do Homem.

Marx teve o mérito de apontar os erros e mazelas do capitalismo, este desumano sistema que engendrou a luta de classes, mercantilizou a propriedade e dessacralizou o Mundo, o transformando em um vasto mercado dominado pelo poder nefasto do dinheiro e que contém em si os germes da própria destruição. O autor de O Capital diagnosticou bem as doenças do Mundo Contemporâneo, mas o remédio que prescreveu para combatê-las causou mais males à Sociedade do que elas próprias.

Nietzsche, por seu turno, teve o mérito de combater o liberalismo, o coletivismo, o cientificismo, o comodismo e a ditadura do ouro, do número e da máquina, ou, em uma palavra, a civilização burguesa. Errou, porém, ao lutar contra o Cristianismo e divinizar o Homem. O sistema por ele criado é, da mesma forma que o marxista, uma religião: a religião do Super-Homem, do Eterno Retorno, da Vontade de Poder e da transmutação de todos os valores.

Tanto Marx quanto Nietzsche foram homens extremamente egocêntricos. O primeiro foi definido pelo poeta Heinrich Heine como um "deus ateu de si mesmo" [13] e nada é preciso dizer sobre o segundo, autor de Ecce Homo, verdadeiro monumento de egolatria escrito quando já se manifestavam claramente os sinais da demência que o destruiria.

Plínio Salgado, em alusão ao épico germânico medievalNibelungenlied (Canção dos Nibelungos), principal das fontes que inspiraram Wagner a compor a monumental Trilogia do Anel, observa que os homens atrofiados de Marx, meras peças da grande máquina da Coletividade, não passam de anões deNibelungen, ao passo que os homens hipertrofiados e divinizados de Nietzsche não são senão gigantes da montanha. Nós, que partimos de uma visão integral do Universo e do Homem, afirma em seguida o preclaro pensador patrício, "não queremos nem o anão, nem o gigante, mas, apenas, o Homem", "o Homem Integral" [14].

Havendo feito referência a Nietzsche, julgamos oportuno assinalar que foi este um filósofo em toda a extensão de significado que tal termo comporta, ao passo que Marx jamais passou de um pensador medíocre, consideravelmente inferior, por exemplo, a seus rivais "esquerdistas" Proudhon, Bakunin, Dühring, Lassale e Bruno Bauer, sem falar no seu próprio amigo Engels. O autor de O crepúsculo dos ídolos foi, ademais, um grande poeta, sobretudo em prosa, sendo Assim falava Zaratustra certamente o mais belo poema em prosa da Literatura alemã, enquanto o autor da Crítica à Filosofia do Direito de Hegel jamais passou de um poeta fracassado.

Chegou Marx a crer, com efeito, na juventude, que sua tragédia em versos, Oulanen, tornar-se-ia um novo Fausto
[15]. Por essa época, enviou um poema ao Deutscher Musenalmanach (Almanaque Alemão de Musas), de Leipzig, que não o publicou. Resolveu então presentear o pai com toda a sua coleção de versos, mas este não apreciou muito a poesia do filho, afirmando que teria uma grande tristeza caso o visse como um "poetastro qualquer" [16]. Em 1841, dois poemas seus foram publicados no Athenaeum, de Berlim. Selvagens, apocalípticos e repletos de ódio, violência, vontade de destruição e ideias macabras como pactos de suicídio e pactos com o demônio [17], tais poemas, embora carentes de valor literário, têm importância na medida em que neles já estão presentes vários dos princípios do credo marxista.

***

Marx foi um grande plagiário. Quase todos os seus ditos mais célebres foram, com efeito, copiados de outros pensadores. De Marat, tomou as frases "Os trabalhadores não têm pátria" e "Os proletários não têm nada a perder senão suas correntes". De Heine, pegou a frase "A religião é o ópio do povo". De Louis Blanc, proveio a fórmula "De cada um de acordo com suas habilidades, a cada um de acordo com suas necessidades". De Karl Schapper, roubou o lema "Trabalhadores de todo o Mundo, uni-vos!" e de Blanqui a expressão "ditadura do proletariado" [18]. O próprioManifesto Comunista tem sido apontado, por intelectuais como Enrico Labriola, Georg Brandes, Georges Sorel e Tcherkezichvili, como sendo quase que integralmente um mero plágio doManifesto Democrático de Victor Considerant, socialista "utópico" francês. Brandes chega a afirmar, aliás, que o Manifesto Comunista é "praticamente uma mera tradução [do manifesto] de Victor Considérant"
[19].

Um dos mais graves defeitos de Marx, herdado, aliás, pela absoluta maioria de seus seguidores, é a mais completa desonestidade intelectual, que não se manifesta tão somente nos plágios, mas também no emprego das citações em seus trabalhos. Citemos as palavras do filósofo alemão Karl Jaspers:

"O estilo dos escritos [de Marx] não é o estilo da investigação, ou seja, a constante evocação das instâncias contrárias, a procura de fatos que falam contra a própria tese; mas esses escritos proclamam, de forma inequívoca, a verdade agora definitiva, e só apresentam o que a confirma. Constituem um pensamento de advogado de defesa e não um pensamento investigador, porém um pensamento de advogado que tem a certeza da verdade perfeita não em bases científicas, mas em virtude de fé" [20].

Em 1885, dois estudiosos de Cambridge produziram um artigo para o Clube Econômico de Cambridge intitulado Comentários sobre o uso dos Livros Azuis por Karl Marx no Capítulo XV de "Le Capital". O texto, produto de um estudo realizado com base na edição francesa revisada de O Capital (1872-75), demonstrou que o referido texto de Marx apresenta um desapreço quase criminoso no uso das fontes", permitindo que consideremos quaisquer "outras partes do trabalho de Marx com suspeição". Foi demonstrado, com efeito, que no capítulo de O Capital em apreço, algumas citações dos Livros Azuis da Biblioteca do Museu Britânico haviam sido "convenientemente reduzidas pela omissão de passagens que poderiam ser levantadas contra as conclusões que Marx tentava estabelecer". Ao mesmo tempo, Marx inseriu "citações fictícias" em sentenças isoladas contidas em diferentes partes de um relatório, e que, para burlar o leitor, eram colocadas "entre aspas invertidas com toda a autoridade das citações dos próprios Livros Azuis" [21].

No discurso inaugural da Associação Internacional dos Trabalhadores, em 1864, Marx adulterou criminosamente um trecho da mensagem orçamentária do Primeiro Ministro Britânico, William Gladstone, de 1863. Gladstone dissera que "veria quase com apreensão e dor este inebriante crescimento da riqueza e do poderio se acreditasse que está circunscrito à classe conservadora. A condição média do trabalhador, temos a felicidade de sabê-lo, melhorou nos últimos vinte anos, em um grau que sabemos extraordinário e que podemos quase qualificar como sem paralelo na história de qualquer país e de qualquer época" [22]. Marx, por seu turno, com a completa desonestidade intelectual que lhe era tão peculiar, fez Gladstone afirmar que "este inebriante crescimento da riqueza e do poderio está totalmente circunscrito à classe conservadora" [23].

A desonestidade intelectual está, contudo, muito longe de ser o único defeito de Marx. O grande deturpador da dialética hegeliana e criador da religião ateia do ódio, da violência e da baixeza moral que é o chamado socialismo "científico" foi um homem profundamente cínico, mesquinho, invejoso, interesseiro, violento, desleal e preguiçoso. Na juventude, teria portado irregularmente armas de duelo e tomado parte em pelo menos um duelo, além de ter passado um dia preso por desordens noturnas e embriaguez [24]. E mesmo com mais de quarenta anos, em 1860, ao se encontrar com Bruno Bauer, em Londres, Marx, após muito beber, pôs-se a atirar pedras nos lampiões, fugindo a toda brida assim que viu a polícia se aproximar [25].

O barbudo burguês de Trier jamais foi um operário ou mesmo pisou em uma fábrica e sempre foi profundamente hostil àqueles que o haviam feito, isto é, aos operários que adquiriam consciência política, em virtude de suas ideias moderadas de como se chegar a uma Sociedade mais justa, totalmente avessas ao extremismo de Marx [26].

Ao contrário do que sustentam diversos inocentes úteis, Marx, que chegou a gastar parte substancial da herança que recebeu do pai armando trabalhadores belgas [27], sempre foi um apologista da violência. No Manifesto Comunista, sustentou que os objetivos dos comunistas "só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social existente" [28]. No ano seguinte, dirigindo-se ao governo prussiano, disse: "Nós somos impiedosos e não pedimos clemência de vocês. Quando a nossa vez chegar, não disfarçaremos o nosso terrorismo". Em 1850, o Plano de Ação que distribuiu na Alemanha igualmente encorajava o emprego da violência: "Longe de nos opormos aos assim chamados excessos, aqueles exemplos de vingança popular contra indivíduos odiados ou edifícios públicos que adquiriram odiosas memórias, nós devemos não apenas perdoar tais exemplos, mas ainda dar a eles a nossa ajuda" [29]. Mais tarde, em O Capital, defendeu que "a violência é a parteira de toda velha sociedade que está prenhe de uma nova" [30].

Na luta contra os adversários políticos, Marx sempre seguiu o princípio maquiavélico segundo o qual os fins justificariam os meios. Impossibilitado de destruir o prestígio de Bakunin, cuja influência sobre os trabalhadores temia e invejava profundamente, o pensador socialista, com o intuito de desmoralizar publicamente o adversário, acusou, na Neue Rheinische Zeitung (Nova Gazeta Renana), o líder anarquista russo de ser um agente secreto da polícia tsarista, dando como fonte documentação que segundo ele estaria em mãos da escritora Amandine Aurore Lucile Dupin, mais conhecida pelo pseudônimo de George Sand. Ao tomar conhecimento da calúnia contra Bakunin, George Sand, indignada, exigiu de Marx imediata retratação e este se justificou afirmando que assim procedia "para defender o movimento socialista dos governos capitalistas" [31].

Com efeito, podemos afirmar, com Paul Johnson, que toda e qualquer coisa que aconteceu na União Soviética sob o regime de Stálin já estava prefigurada quase cem anos antes no comportamento de Marx [32]. Afirmamos, aliás, que a única diferença existente entre o "Guia Genial dos Povos" e o místico ateu de Trier reside no fato de que o primeiro chegou ao poder, se transformando no Tsar ou Cã Vermelho, ao passo que seu mestre jamais chegou sequer perto disso. E a mesma comparação poderíamos fazer entre Marx e Mao Zedong, o "Grande Timoneiro" da "Revolução" (anti)Chinesa, o Imperador Vermelho que fuzilou milhões na "Revolução" (anti)Cultural e matou ainda mais de fome durante o "Grande salto para a frente", que deveria ter se chamado "Grande salto para trás".

Nenhuma vítima de Marx foi, porém, maior do que a própria família. Dos seis filhos que teve com a esposa, Johanna "Jenny" von Westphalen, três morreram ainda na primeira infância, vítimas do estado de penúria a que foram submetidos por conta da leviandade e irresponsabilidade do pai, e dois outros - as filhas Eleanor e Jenny Laura – se suicidaram em 1898 e 1911, respectivamente. A outra filha, a jornalista Jenny Caroline, morrera, ao que parece vítima de câncer, em janeiro de 1883.

O último dos filhos de Marx a morrer foi Frederick "Freddie" Demuth, produto da relação extraconjugal do pensador "alemão" com a criada Helena "Lenschen" Demuth (que nunca recebeu um centavo de Marx) e cuja paternidade fora assumida por Engels para evitar um escândalo. "Freddie", que nasceu em 1851 e faleceu em 1929, só viu Marx uma única vez em sua vida.

***

Em A questão judaica (1844), Marx afirma:

"Qual é o fundamento secular do judaísmo: A necessidade prática, o interesse egoísta.

Qual é o culto secular praticado pelo judeu? A usura. Qual o seu Deus secular? O dinheiro.

Pois bem, a emancipação da usura e do dinheiro, isto é, do judaísmo prático, real, seria a autoemancipação de nossa época.

(...) A emancipação dos judeus é, em última análise, a emancipação da humanidade do judaísmo.

(...) O judeu se emancipou à maneira judaica não só ao apropriar-se do poder do dinheiro como também, porque o dinheiro se converteu, através dele e à sua revelia, numa potência universal, e o espírito prático dos judeus no espírito prático dos povos cristãos. Os judeus se emanciparam na medida em que os cristãos se fizeram judeus.

(...) Qual era o fundamento da religião hebraica? A necessidade prática, o egoísmo.

(...) O Deus da necessidade prática e do egoísmo é o dinheiro.

O dinheiro é o Deus zeloso de Israel, diante do qual não pode prevalecer outro Deus.

(...) O Deus dos judeus se secularizou, converteu-se em Deus universal. A letra de câmbio é o Deus real dos judeus" [33].

O autor dos Manuscritos econômico-filosóficos, porém, jamais pode se emancipar do "Deus zeloso de Israel", que, segundo ele, se converteu, por meio da ação dos judeus, no "Deus universal" da sociedade burguesa. Suas egoísticas cartas à família e a Engels estão repletas, com efeito, de pedidos de dinheiro. Uma delas, escrita a Engels em princípios do ano de 1863, quando este perdeu Mary, sua companheira, quase pôs termo à amizade que unia os dois criadores do socialismo "científico".

Na referida carta, Marx dizia que ficara surpreendido e transtornado com o falecimento de Mary, que lembrava ser uma pessoa muito boa, de "humor sereno" e apegada ao amigo, mas logo em seguida passava egoisticamente a ocupar Engels com suas dificuldades econômicas. E assim concluía a carta: "De certo, sou horrivelmente egoísta contando-lhe minhas dificuldades em tal circunstância. Mas o remédio é homeopático; um mal expulsa o outro. E, afinal de contas, que posso fazer? Não poderia ter morrido, em lugar de tua Mary, minha mãe, que anda mal de saúde e já viveu bastante? Veja, a que pensamentos extravagantes chegam os homens, ditos civilizados, quando são oprimidos por certas circunstâncias" [34].

Engels sentiu-se bastante mal ao ler a carta de Marx, especialmente em virtude de haver recebido, após o falecimento de Mary, a afetuosa solicitude de diversos amigos dos quais não esperava tanto. E assim escreveu a Marx: "Você achou que esse momento era oportuno para fazer prevalecer seu gélido modo de pensar" [35].

Alguns dias mais tarde, Marx escreveu a Engels procurando se justificar e demonstrar arrependimento e então o autor de A origem da família, da propriedade privada e do Estado o perdoou, de modo que as relações entre os dois coautores doManifesto Comunista voltaram a ser aquelas de sempre [36].

***

Foi em nome dos ideais de Karl Marx que uma minoria organizada de agitadores fez a "Revolução" (anti)Russa de 1917, bem como todas as demais "revoluções" ditas socialistas do século XX, responsáveis pelo extermínio de mais de cem milhões de pessoas, vítimas dos fuzilamentos, das torturas, da fome e das doenças provocadas pela miséria.

Fora em nome das ideias de Jean-Jacques Rousseau que outra minoria de agitadores profissionais fizera a "Revolução" (anti)Francesa de 1789, que em poucos anos foi responsável pela execução de dezenas de milhares de pessoas, sem contar as vítimas das guerras civis e da chamada "Guerra Revolucionária", por ela provocadas, enquanto a tão demonizada Inquisição Espanhola em trezentos e trinta anos matou, segundo os mais insuspeitos historiadores, cerca de três mil pessoas.

Além de terem sido os principais inspiradores dos dois mais nefandos levantes contra a Tradição e a Ordem Natural das últimas centúrias, Rousseau e Marx têm mais semelhanças do que se imagina. Como frisa Henri de Man, a influência do autor de Do contrato social sobrevivia em Marx muito mais do que este admitia [37].

Consoante aduz o filósofo russo Nikolai Berdiaeff, "ao mito democrático do povo soberano, criado por Jean-Jacques Rousseau, Karl Marx opõe o mito socialista do proletariado, classe messiânica, também intérprete da vontade geral, destinada a libertar e a salvar a humanidade". A despeito de se revestir de um caráter "manifestamente mitológico" e de se constituir em uma "sobrevivência inconsciente da visão israelita do povo eleito por Deus", a teoria marxista da luta de classes está um pouco menos distante da realidade do que a teoria de Rousseau, que imagina "uma vontade geral, infalível e soberana do povo na democracia. Esta infalibilidade, Marx transmite-a do povo soberano ao proletariado – mas, em verdade, nem num nem noutro ela existe" [38].

Felizmente, Oswald Spengler está certo: "Há já bastante tempo que Rousseau está esquecido. Marx o será em breve" [39].

***

Não podemos encerrar o presente artigo sem abordar, ainda que sucintamente, a questão do racismo de Marx, bem como sua defesa do colonialismo europeu e estadunidense do Norte, produto da visão profundamente eurocêntrica do poeta fracassado de Trier.

A 15 de fevereiro de 1849, Marx publicou, na Neue Rheinische Zeitung, um artigo defendendo a agressão imperialista dos Estados Unidos da América contra o México, enaltecendo os estadunidenses do Norte como representantes da civilização e do progresso e atacando Bakunin, defensor dos mexicanos, por seu sentimento humanitarista. Acentuando o dinamismo da nação da bandeira das treze listras, Marx sustentou que não constituíra nenhum desastre o fato de "a bela Califórnia" haver sido "arrancada das mãos dos preguiçosos mexicanos". "A independência de alguns californianos pode sofrer com isso, a justiça e outros princípios morais podem ser feridos – mas isto conta, diante de tais realidades que são o domínio da história universal?", se indagava o amoral criador do marxismo [40].

Em 25 de junho de 1853, em célebre artigo publicado no New York Daily Tribune, Marx, dentro da visão eurocêntrica que lhe era tão peculiar, atacou virulentamente a cultura, a religião e a estrutura social da Índia, considerada um exemplo sólido daquilo a que denominava "despotismo oriental". O artigo, que trata a rica e profunda civilização indiana como bárbara e selvagem, contém o elogio do colonialismo britânico, "instrumento inconsciente da história" ao provocar a "revolução" que, segundo ele, fizera ruir o edifício da sociedade indiana [41]. Não é necessário dizer que tal juízo estava totalmente equivocado, já que o edifício da sociedade indiana ainda está de pé e a maior parte dos indianos permanece fiel às origens, cultuando os Deuses e cumprindo os deveres inerentes à sua casta de acordo com o Código de Manu.

Em outro artigo publicado no New York Daily Tribune, este a 8 de agosto do mesmo ano, Marx afirmou que a Índia não tinha História. "O que chamamos história não é senão a crônica de invasores sucessivos que fundaram impérios na base dessa sociedade imutável e não resistente". É o Ocidente, para o místico ateu e burguês de Trier, quem deve introduzir a História na Índia [42].

Ora, a sociedade indiana, que nada tem de não resistente, tanto que, invadida por diversos povos, sempre conseguiu se manter fiel às suas tradições, somente não teria História caso a História fosse, como na absurda visão marxista, a história da luta de classes, já que a sociedade indiana, fiel aos preceitos do Hinduísmo, jamais conheceu tal aberração.

Isto posto, não podemos deixar de destacar o nosso integral repúdio à ignorância de Marx em face da civilização indiana, uma das mais antigas e importantes da História, que produziu joias como os Vedas, os Upanishads, os Puranas, o Bhagavad Gita, oMahabharata e o Código de Manu, sem falar em todas as invenções, incluindo o número zero e os chamados numerais indo-arábicos.

A civilização que Marx mais atacou, porém, não foi a indiana, mas sim a russa, pela qual o falso profeta de Trier alimentava ódio verdadeiramente irracional, que, como frisa Meira Penna, não se encontra somente em sua concepção de um modo de produção particular, o denominado "despotismo oriental", que escaparia totalmente às leis da dialética determinista, dividida em três fases: feudalismo, capitalismo e socialismo. Esse modo de produção tornaria a Rússia, bem como a China, a Índia e outros países, "imune à ação das forças que conduzem, pela própria dialética das 'leis férreas da História', ao triunfo futuro do comunismo" [43].

Para Marx, o russo era "o bárbaro das margens gélidas do Neva" e a Rússia, o "bizantinismo mais terrível e mais bárbaro que há", um país em que, como ressalta em sua propositalmente olvidada obraA questão do Oriente, "por sua tradição, suas instituições e sua situação é semiasiático". A Rússia é, para o intelectual apátrida de Trier, "a barbárie russo-mongol em nome da qual os pan-eslavistas se preparam para sacrificar oito séculos de participação efetiva à civilização" [44].

Em 1848, em artigo publicado na Neue Rheinische Zeitung, Marx pregou a "guerra revolucionária" contra a Rússia, que, segundo ele, deveria "virilizar" o povo alemão e permitir-lhe expandir para o Leste a sua civilização em um sacrifício libertador. "Às frases sentimentais que se nos oferecem em nome das nações contrarrevolucionárias da Europa, respondemos: o ódio aos russos foi e permanece a primeira paixão revolucionária dos alemães... Salvaguardaremos a revolução por um terrorismo decidido em relação a esses povos eslavos". "Sabemos agora", acrescentava ele, "onde estão os inimigos da revolução: na Rússia e nos países eslavos da Áustria" [45].

Nas páginas que escreveu sobre a Rússia, tanto em livros quanto em jornais, Marx sempre atacou virulentamente o país dos tsares, sustentando que este tinha origens bizantinas e tártaras e que estavam em Gêngis Cã e na Horda de Ouro as origens do poder e do expansionismo do Kremlin. Em sua pouco conhecida obra A Rússia e a Europa – Revelações sobre a história diplomática do século XVIII (1857), livro profundamente antirrusso em que defendeu a tese de que a Inglaterra estava por trás da transformação da Rússia em potência mundial, Marx afirma:

"É na lama sangrenta da escravidão mongol e não na rude glória da época normanda que nasceu a Moscóvia, da qual a Rússia moderna é apenas a metamorfose" [46]

Curioso é saber que Marx – que em suas páginas sobre a Rússia, cheias do mais apaixonado ódio e onde sustenta princípios tão estranhos às suas teorias materialistas quanto a defesa da Civilização Ocidental – acreditava fielmente na absurda lenda do testamento de Pedro, o Grande, programa apócrifo que o fundador de São Petersburgo haveria deixado a seus sucessores para a conquista do Mundo [47].

Como dissemos há pouco, o nome de Marx, por ironia do destino, se transformou em bandeira de luta dos seus mais odiados inimigos, justificando a política expansionista russa que ele tanto combatera. Isto se torna, aliás, mais grave caso concordemos com o juízo de alguns no sentido de que a "Revolução" (anti)Russa de 1917 foi o triunfo da Rússia tártara contra a Rússia europeizada, a vingança de Kazan contra a Moscóvia, ou, a exemplo de Spengler, julguemos que na Rússia de 1917 rebentaram duas "revoluções", a "branca" e ocidentalizada e a "de cor", representante do "bolchevismo asiático" e que, sob o regime de Stálin, teria suplantado a primeira [48].

Julgamos oportuno concluir esta breve exposição a respeito do racismo e do eurocentrismo de Marx, citando um trecho de uma das diversas cartas suas que contêm passagens extremamente racistas. Esta carta, escrita a Engels em 30 de julho de 1862, é talvez a mais célebre e reveladora de todas. Nela, se referindo ao líder socialista Ferdinand Lassale, Marx escreveu:

"Está completamente claro para mim agora que ele, como é provado por sua formação cranial e seu nariz, descende de negros do Egito (supondo-se que sua mãe ou avó não tenha cruzado com um negro). Agora esta união de Judaísmo e Germanismo com uma substância negra básica deve produzir um produto peculiar. A impertinência do camarada é também própria de Crioulo" [49].

***

Somos contra Marx porque, assim como Giovanni Gentile, "somos contra o liberalismo que ele combatia, mas de cujo espírito se pode dizer que ele foi o mais franco, o mais lógico representante" [50].

Marx, que, no plano econômico, foi discípulo de Adam Smith, do banqueiro judeu David Ricardo e dos fisiocratas franceses, acreditou combater a burguesia, mas na verdade nunca se libertou do espírito burguês dominante em seu tempo. E, aliás, caso estivesse certa a sua tese no sentido de que "a natureza dos indivíduos depende das condições materiais que determinam sua produção" [51], isto é, da classe social a que pertencem, ele seria burguês, e, por conseguinte, seu ideário seria também burguês.

Marx está morto. O marxismo, religião nascida do liberalismo e da civilização burguesa, fruto do século XIX e somente compreensível enquanto tal, está morto desde que a Humanidade ultrapassou a época do tear mecânico e dos lampiões de gás. É somente em certos países da África e da Ásia e na denominada América Latina que Marx e seu nefando credo ainda são levados a sério pelos intelectuais. Vinte anos após a queda do Muro de Berlim, marco da ruína, na Europa, do sistema que mais matou e oprimiu na História, promovendo a igualdade entre os Homens tão somente na escravidão, ainda carregamos o cadáver putrefato desta ideologia espúria, baseada nos mais baixos instintos do Homem e destinada a permanecer para sempre na latrina da História.

Seremos verdadeiramente grandes apenas quando nos livrarmos de tal cadáver, o que se dará tão somente quando erradicarmos as fontes do marxismo, que são o espírito burguês e o sentimento de revolta dos injustiçados pelos desmandos do desumano sistema capitalista. Seremos verdadeiramente grandes quando fizermos triunfar o Espírito da Nobreza, restaurando o Primado da Tradição e, ao mesmo tempo, substituirmos o atual sistema político, econômico e social por outro mais justo, solidário e fraterno, que sirva à Pessoa Humana e não seja servido por ela.

 

NOTAS:

[1] Sobre o mito do progresso: BARBUY, Heraldo. O mito do progresso. In BARBUY, Heraldo. O problema do Ser e outros ensaios. São Paulo: Convívio/ EDUSP, 1984, pp. 101-118.

[2] GENTILE, Giovanni. Economia ed etica. In GENTILE, Giovanni. Memorie italiane e problemi della filosofia della vita. Florença: G. C. Sansoni – Editore, 1936-XIV, p. 285.

[3] Idem, p. 287.

[4] SCHMITT, Carl. O conceito do político - Teoria do partisan.Trad. de Geraldo de Carvalho. 1ª ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2008, p. 91.

[5] LAZARE, Bernard. Antisemitism – It's History and Causes. Lincoln: University of Nebraska Press, 1995, p. 157.

[6] Sobre o caráter religioso do marxismo: BARBUY, Heraldo.Marxismo e Religião. 2ª ed. São Paulo: Editora Convívio, 1977; BERDIAEFF, Nicolas. O marxismo e a religião. Prefácio e trad. de Duarte de Montalegre. Coimbra: Mensagem, 1948.

[7] BARBUY, Heraldo. Marxismo e Religião, cit., p. 15.

[8] Idem, loc. cit.

[9] RAMOS, Guerreiro, apud DOREA, Gumercindo Rocha.Posfácio. In SALGADO, Plínio. Manifesto de Outubro de 1932(Edição do Cinquentenário). São Paulo: Editora Voz do Oeste, 1982, p. 72.

[10] SALGADO, Plínio. O sofrimento universal. 3ª ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, p. 28.

[11] SCHELER, Max. Das Ressentiment im Aufbau der Moralen. Frankfurt am Main: Klostermann, 1978.

[12] NIETZSCHE, Friedrich. Der Antichrist. In Nietzsche Werke, v. 13.
Ed. por Giorgio Colli e Mazzino Montinari. Berlim, Nova Iorque: Walter de Gruyter, 1969, p. 244.

[13] Citamos de memória.

[14] SALGADO, Plínio. A Quarta Humanidade. 1ª ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1934, p. 109.

[15] , Paul. Intellectuals. Nova Iorque: Harpers Perennial, 1990, p. 54.

[16] CHIERICATI, Cesare. Marx. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1975, p. 7.

[17] JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., loc. cit.

[18] Idem, p. 53.

[19] BRANDES, Georg. Ferdinand Lassale. Nova Iorque: Bernard G. Richards, 1925, p. 115.

[20] JASPERS, Karl. Razão e anti-razão em nosso tempo. Trad. de Álvaro Vieira Pinto. Disponível em:

http://www.filoinfo.bem-vindo.net/filosofia/modules/smartsection/item.php?itemid=53. Acesso em 12 de novembro de 2009.

[21] JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., p. 67.

[22] GLADSTONE, William, apud JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., p. 66.

[23] MARX, Karl, apud JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., p. 67.

[24] CHIERICATI, Cesare. Marx, cit., p. 7.

[25] Idem, p. 14.

[26] JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., p. 60.

[27] Idem, p. 74.

[28] MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. 5ª ed. Rio de Janeiro: Vitória, 1963, p. 62.

[29] MARX, Karl, apud JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., p. 71.

[30] MARX, Karl. O capital. II vol. São Paulo: Nova Cultural (Col. Os Economistas), 1985, p. 286.

[31] Cf. PONTES, Ipojuca. Sobre a moralidade de Karl Marx. InJornal da Tarde, São Paulo, 20/10/2001.

[32] JOHNSON, Paul. Intellectuals, cit., loc. cit.

[33] MARX, Karl. A questão judaica. Trad. e apres. de Wladimir Gomide. Rio de Janeiro: Achiamé, s/d, pp. 41-43.

[34] MARX, Karl, apud CHIERICATI, Cesare. Marx, cit., p. 63.

[35] ENGELS, Friedrich, apud CHIERICATI, Cesare. Marx, cit.,loc. cit.

[36] Cf. CHIERICATI, Cesare. Marx, cit.,loc. cit.

[37] MAN, Henri de. Le Socialisme constructif. Trad. francesa de L. C. Herbert. Paris:Éditions Alcan, 1933, p. 43.

[38] BERDIAEFF, Nicolas. Le Christianisme et la lutte des classes.Trad. francesa de I. P. H. M. Paris: Éds. Demais, 1932, pp. 30-31.

[39] SPENGLER, Oswald. La decadencia de Occidente: Bosquejo de una morfología de la Historia Universal. Trad. espanhola de Manuel G. Morente. Buenos Aires, México: Espasa-Calpe Argentina S.A., 1952, Tomo II, p. 588.

[40] Marx, Karl, apud PONTES, Ipojuca. Sobre a moralidade de Karl Marx, cit.

[41] MARX, Karl, apud PENNA, J. O. de Meira. A ideologia do século XX. 2ª ed. São Paulo: IL/ Nordica, 1994, pp. 191-192

[42] MARX, Karl, apud PENNA, J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 193.

[43] PENNA, J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 183.

[44] MARX, Karl, apud , J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 185.

[45] MARX, Karl, apud , J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 187.

[46] MARX, Karl, apud , J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 189.

[47] PENNA, J. O. de Meira. A ideologia do século XX, cit., p. 188.

[48] SPENGLER, Oswald. Anos de decisão. Trad. Herbert Caro. Porto Alegre: Edições Meridiano, 1941, pp. 184-185.

[49] MARX, Karl, apud WHEEN, Francis. Karl Marx. Trad. de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Record, 2001, p. 58.

[50] GENTILE, Giovanni. Economia ed etica, cit., p. 293.

[51] Citamos de memória.

 

 


Pedágios?Pedários

Um dos temas mais idiotas desta campanha é a questão dos pedágios.

Mais idiota que o tema é a insistência em gastar tanto tempo com o assunto.

E, para quem não percebeu, mais idiota ainda é o PT "sentando no próprio rabo e apontando para do outro macaco". Alguém conhece a via Dutra (BR116)? O pedágio nesta (Federal, portanto jurisdição do PT) custa o mais (sendo muito pior a qualidade da rodovia) que um mesmo trajeto entre São Paulo e Taubaté pela Ayrton Senna e Carvalho Pinto.

Só não entendo porque a campanha do PSDB não mostra isso.

E, façam o favor, tentem achar coisas mais importantes para apresentar.


PrivatizaçõesVerdades sobre as privatizações

 

Aqui não vou fazer um posicionamento necessariamente contrário às privatizações, mas destacar que este é um ponto muito usado pela militância petista que ignora a continuidade (às vezes sob disfarces) deste processo no atual governo.

Os debates sobre as privatizações constituem alguns dos mais apaixonados por parte dos militantes vermelhos - e neste ponto há alguma identificação com verdadeiros patriotas.

Mas estes mesmos militantes fazem questão de se cegar diante da continuidade da privatização direta no período Lula citando apenas o exemplo da rodovia Fernão Dias. 

O curioso é que mesmo estes raivosos ignoram o que é PPP. Façam um levantamento bem rápido e tenham coragem de pensar.

Ignoram que o modelo do PROUNI foi combatido violentamente pelos "estudantes" pois era proposta do período FHC e os "movimentos sociais" denunciavam a privatização do ensino superior. Como sempre, mudaram de posição sem "avisar" ninguém. Não respeitam e não têm qualquer interesse pelos fanáticos militantes.

Ignoram que os aportes (incluindo ofertas públicas de ações) são processos de privatização. Vários detentores pessoas físicas são TAMBÉM acionistas privados. E isso ocorreu com a Petrobrás e com o Banco do Brasil para falar dos casos mais divulgados na TV.

 


Racismo e cotasPromoção do ódio racial
Movimentos como o "Nação Mestiça" tem atuado fortemente para expor a implantação de políticas racistas em nosso estado como fim único na divisão do povo para facilitar manobras.
 
 

Relações Internacionais
Asilos políticos e 'Asilos'Política de asilos

O PT registrou em várias ocasiões na sua coleção de atos injustos a imposição de sua ideologia e companheirismo com amigos marxistas de outros países.

Quando um regime alinhado a esta quadrilha internacional pune e persegue políticos, estes não recebem qualquer apoio do Brasil. Enquanto isso, em casos praticamente simultâneos e inversamente contrários ("companheiros" de "militância" presos), a atitude do governo é oposta.

Cito o exemplo gritante do irregular refúgio ao assassino e terrorista Cesare Battisti: em lamentável ofensa à Itália, país amigo, de justiça séria, que, aliás, é pátria da segunda nacionalidade da família do presidente.

Existem asilos, férias cômodas e abrigo de bandidos desde que "companheiros" vermelhos. E asilo político [de fato] a pessoas que chegam ao ponto de morrer, são recusados absurdamente.


Outras iniciativas
CuriosidadesIG - Telemar

Tenho visto o entusiasmo dos militantes mais fanáticos com a cobertura diária das pesquisas eleitorais pelo IG. As notas do próprio IG são tão tendenciosas quanto aquelas que eles próprios denunciam na "imprensa inimiga". Lembrando de notícias antigas e informações com que tive contato, passei no site da Bovespa e vi algo curioso sobre a composição dos controladores do IG. Antes da atual configuração, o IG era controlado pelo IG Cayman (Opportunity - de Daniel Dantas, aquele que foi preso e solto no mesmo dia, e que dizem ser sócio do filho milhonário do Lula).

  

Posição Acionária* - 25/04/2008

Nome %ON %PN %Total
Bndes Participações S.A. Bndespar (PT) 31,36 100,00 31,38
Ag Telecom Participações S.A.(empreiteira AG) 12,89 0,00 12,88
Luxemburgo Participações S.A. 6,44 0,00 6,44
Fund Econom Federais - Funcef(PT) 2,79 0,00 2,79
Fund Petrobras Seg Social - Petros(PT) 2,74 0,00 2,74
Caixa Prev Func Bco Brasil - Previ(PT) 12,96 0,00 12,95
L.f. Tel S.A. 19,33 0,00 19,33
Fundação Atlantico de Seguridade Socia(funcionários Telemar - PT?) 11,49 0,00 11,49
Ações em Tesouraria 0,00 0,00 0,00
Outros 0,00 0,00 0,00
Total

 

http://www.bmfbovespa.com.br/cias-listadas/empresas-listadas/ResumoEmpresaPrincipal.aspx?codigoCvm=18678&idioma=pt-br

 

 


Debates de candidatosDebate TV Gazeta / Estadão

Dilma, cuja estratégia já era esperada, não compareceu ao debate desta quarta-feira (09/09/10).

Plínio Sampaio fez as mais duras e importantes críticas a esta estratégia e à própria candidatura. 

A íntegra (áudio) está disponível no endereço:

http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2010/09/08/estadao-e-tv-gazeta-promovem-debate-entre-candidatos-a-presidencia-acompanhe/

Vídeos dos blocos:

 


Debate TV Canção Nova / TV Aparecida

Deve ser assistido este que foi muito superior aos demais havendo inclusive certo aprofundamento.
A "católica" dona Dilma, claro, fugiu - para assistir bobagens como ficou registrado e como sabemos todos os fanáticos militantes negarão até o fim mesmo com todas as provas.

O debate entre os canditatos à presidência que aconteceu na noite de segunda-feira, 23, foi um marco na história da Igreja do Brasil. Mais de 200 rádios e 6 TVs transmitiram as 2 horas e 15 minutos de respostas de José Serra, Marina Silva e Plínio Arruda sobre assuntos pertinentes aos cristãos.



O debate foi dividido em quatro blocos. Todo esse conteúdo está disponível, NA ÍNTEGRA, para você assistir novamente e viver as eleições 2010 com seu voto consciente!


1º bloco - parte 1

Logo no início do programa o mediador Padre César Moreira abre o debate com pergunta a opinião de cada candidato, sobre a importância do presidente da república ACREDITAR EM DEUS






1º bloco - parte 2

A candidata Marina fala sobre a REFORMA AGRÁRIA. Os outros candidatos também comentam o assunto







1º bloco - parte 3

José Serra fala sobre a ECONOMIA






2º bloco - parte 1

Plínio fala sobre HOMOFOBIA. Os outros candidatos também expressam suas opiniões instigados pela pergunta do jornalista da TV Cancao Nova Raphael Leal






2º bloco - parte 2

ABORTO é o assunto abordado pela candidata Marina Silva e comentado pelos outros candidatos. A temática foi levantada pelo jornalista da TV Canção Nova Raphael Leal. No final desse trecho Serra comenta a problemática das doenças sexualmente transmissíveis.






2º bloco - parte 3

CENSURA ou CONTROLE SOCIAL e SEGURANCA PÚBLICA são assuntos questionados pelo jornalista da TV Século XXI aos candidatos no segundo bloco do DEBATE entre os presidenciáveis






2º bloco - parte 4

Os assuntos TRANSPORTE (trem bala), SOCIALISMO RADICAL e ALIANÇAS POLÍTICAS foram instigados pelo jornalista do Jornal O Estado de Sao Paulo, José Maria Mayrink





3º bloco - parte 1

O bispo responsável pela Pastoral do Menor, Dom Leonardo de Miranda Pereira, levanta os assuntos: MAIORIDADE CRIMINAL e EDUCAÇÃO, durante o Debate






3º bloco - parte 2

Em nome da Pastoral Familiar Raimundo Leal indaga os candidatos a respeito do PNRH-3, que atinge diretamente os valores cristãos da vida e da família





3º bloco - parte 3

O Padre Valdir Joao Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, pergunta sobre a pretenção dos candidatos, se eleitos, a respeito de manter o atual sistema carcerário ou investir em outras alternativas para reduzir a criminalidade







4º bloco - parte 1

Mariana Silva fala sobre POLÍTICA HABITACIONAL






4º bloco - parte 2

Plínio Arruda apresenta suas propostas para a AGRICULTURA e REFORMA AGRÁRIA






4º bloco - parte 3

ABORTO e PENA DE MORTE e abordado pelo candidato José Serra






4º bloco - parte 4

Cada candidato expõe suas opiniões e políticas de governo a respeito do ENSINO RELIGIOSO.






4º bloco - parte 5

Considerações finais dos candidatos Marina Silva, Plinio Arruda e José Serra no primeiro Debate entre Presidenciáveis promovido pelas TVs católicas Canção Nova e Aparecida.


* endereço original: http://tv.cancaonova.com/mostramateria.php?id=6345


HumorHumor

Para celebrar a sensata decisão do STF hoje (02/09/2010) sobre o direito de expressão e humor, estamos abrindo aqui para diversos aspectos ridículos (no sentido literal)

 

VEJA MAIS AVATARES AQUI! - USE NO MSN, ORKUT, TWITTER, FACEBOOK, ETC...

Todos os vídeos são de autores diversos. Há apenas atalhos que incorporam a reprodução neste endereço e os locais originais estão disponíveis nas respectivas telas de reprodução.

 

 


Listas de candidatosListas de candidatos

Recomendo:

Lista em defesa da Vida: www.brasilsemaborto.com.br


Mapa Geral

Abaixo a íntegra de todos os textos. 


Use o mapa acima para facilitar a navegação


Mobilização e atos

No dia da Pátria, SALVE O BRASIL!

Movimento pela integridade e integração Nacional

Pela Independência Nacional, em defesa da vida e da família, pela soberania e pela restauração da ética. Contra a corrupção, a associação do estado ao crime, contra o comunismo e seu representante de maior risco: Dilma Rousseff.

7 de Setembro, às 15 horas
Margens do Ipiranga (Parque da Independência, São Paulo)
Compareça com sua família e seus amigos.


Como chegar
A concentração será na escadaria do Monumento à Independência (15h). Procure chegar com antecedência.

Automóvel:
Quem estiver de automóvel pode chegar facilmente ao local. Aos amigos que estiverem na Marginal Tietê ou Anhembi, sugiro um trajeto bastante simples:
- Na pista local da Marginal Tietê, sentido Rod. Ayrton Senna, após a ponte das Bandeiras, há uma entrada a direita para a Av. Cruzeiro do Sul (deve-se acessar antes da Ponte Cruzeiro do Sul) - no local há uma obra de um novo viaduto e a entrada está um pouco escondida, mas, suficientemente sinalizada;
- Seguir pela Avenida Cruzeiro do Sul, sentido Sul (Centro);
- Ao final, pegar a Avenida do Estado a esquerda e seguir por ela até a Avenida D. Pedro I (junto ao Senai, Carrefour e Comando da Aeronáutica);
- A Avenida D. Pedro I termina à frente do Monumento. Existem opções de estacionamento no entorno.


 
Transporte Público:
 
Ônibus:
Para quem estiver no Anhembi ou Metrô Tietê, a melhor opção é um ônibus direto:
Na Avenida Cruzeiro do Sul, altura do 1877, pegar a linha com destino Terminal Sacomã (571T-10).
Descer no começo da Rua Leais Paulistanos onde é a entrada do Parque mais próxima ao Monumento.
Outra opção de ônibus, para quem estiver no Centro de SP:
Na Praça do Correio, o ônibus Terminal Sacomã (5107-10) faz o mesmo trajeto e basta parar na Rua Leais Paulistanos.
 
Metrô:
- As estações de Metrô [da linha Verde] Imigrantes, Alto do Ipiranga e Sacomã estão há cerca 25 minutos de caminhada até o Parque da Independência. Sendo a Imigrantes com o menor trajeto e em terreno plano: neste caso, basta seguir pela Av. Dr. Ricardo Jafet sentido Norte (Centro) que acaba no Parque ao lado do Monumento.
 
Trem:
- A estação de trem Ipiranga (linha Rio Grande da Serra) fica há 20 minutos do Parque. Basta seguir a oeste cruzando a Av. do Estado, seguir pela rua dos Patriotas, entrar à direita na rua do Manifesto e depois à esquerda na rua dos Sorocabanos e ao final está o Parque.

Posições OficiaisAPELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS - CNBB

Em nota, Regional Sul 1 pede divulgação do texto "Apelo a todos os Brasileiros e Brasileiras"

 

 

NOTA DA COMISSÃO EPISCOPAL REPRESENTATIVA DO CONSELHO EPISCOPAL REGIONAL SUL 1 – CNBB


A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”.

São Paulo, 26 de Agosto de 2010.

Dom Nelson Westrupp, scj
Presidente do CONSER-SUL 1

Dom Benedito Beni dos Santos
Vice-presidente do CONSER-SUL 1

Dom Airton José dos Santos
Secretário Geral do CONSER SUL 1


APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS


Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,

- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) o atual governo comprometeu-se a legalizar o aborto,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a descriminalização do aborto até o nono mês de gravidez e por qualquer motivo, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº Congreso, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público como programa de partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,
- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº Congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional ao 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria ministra da Casa Civil como candidata oficial do Partido dos Trabalhadores para a Presidência da República,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, o PT e as lideranças partidárias da base aliada boicotaram a criação da CPI do aborto que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS encarecidamente a todos os cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, que, nas próximas eleições, deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalizacão do aborto.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil” (http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf), elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

 

local original: http://www.cnbbsul1.org.br/index.php?link=news/read.php&id=5742

 

 


DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA

11º ENCONTRO NACIONAL DE
OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – 11º ENOREx

DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA
Os signatários deste documento, presidentes das Associações que congregam Oficiais da Reserva do Exército Brasileiro filiadas ao Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil (CNOR), ou seus representantes legais, reunidos na cidade de Brasília, Distrito Federal, no período de 13 a 17 de outubro de 2009, por ocasião do 110 Encontro Nacional de Oficiais da Reserva do Exército – 110 ENOREx – promovido pela Associação dos Oficiais da Reserva do Exército do Distrito Federal – AORE Planalto – unidos e coesos, lavram, reiteram e subscrevem como compromisso de honra perante a Nação brasileira, a presente declaração de intenções, posicionamentos e conceitos, sob a forma desta DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA.

PROCLAMAM ser o território brasileiro uno, indivisível e intocável, e se declaram, como Reserva do Exército, dispostos a assim mantê-lo e defendê-lo – e às suas riquezas – ombro a ombro com os integrantes da Ativa das Forças Armadas do Brasil, se necessário, e em qualquer circunstância, para garantia dos poderes constitucionais, da lei, da ordem e da soberania do Estado Brasileiro.

DECLARAM, como membros de uma Reserva Ativa, Atenta e Forte, aglutinados nas Associações de Oficiais R/2 do país, tendo como órgão central o Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil, que se dispõem, como formadores de opinião, a ser o elo entre as Forças Armadas e os demais segmentos da sociedade brasileira.

INFORMAM que atuarão como verdadeiros embaixadores do Exército no meio civil, exercendo suas ocupações com probidade, dignidade, lealdade, ética, zelo, responsabilidade, decoro, boa ordem, disciplina e exata noção do cumprimento do dever, tendo como fulcro os princípios, valores e atributos praticados nas Forças Armadas do Brasil.

CONDENAM, no exercício pleno de seus direitos constitucionais, o desapreço que alguns integrantes dos poderes constituídos dispensam às Forças Armadas, negando o devido mérito à sua profissão militar e aos valores que cultuam, difundem e exercitam, bem como sonegando os meios necessários ao cumprimento de suas missões, na tentativa vã e impatriótica de desmerecê-las, e o que é ainda pior, de enfraquecê-las.

REAFIRMAM que as Forças Armadas são a expressão natural do Poder Nacional, guardiãs incondicionais dos princípios e valores que forjaram a nacionalidade, defensoras intransigentes da soberania nacional, da verdadeira democracia, do civismo e da igualdade social, sem preconceitos de qualquer natureza, posto que ensejam em si, numa simbiose perfeita, a mais pura e plena representação da população brasileira.

EXALTAM, orgulhosos, a participação das nossas Forças Armadas em Missões de Paz da ONU, em especial no Haiti. Após a vitoriosa atuação na Segunda Guerra Mundial, o Brasil, a partir de 1957, com o embarque do primeiro contingente do Batalhão Suez, participou de inúmeras Missões da ONU. As Forças de Paz brasileiras estiveram presentes nos locais mais distantes e inóspitos. Egito, República Dominicana, Guatemala, Equador, Peru, Congo, Costa Rica, El Salvador, Honduras, Guatemala, Nicarágua, Moçambique, Timor Leste, Croácia, Prevlaka, Índia, Paquistão, Libéria, Angola, Ruanda, Ex-Iugoslávia, Nova Guiné Ocidental, Eslavônia Oriental, Costa do Marfim, Chipre, Guiné Bissau e Haiti. Atualmente, quase dois mil militares brasileiros estão integrando diversas missões em andamento pelo mundo, enfrentando condições adversas, distantes da terra natal, combatendo, salvando e pacificando guerras. Em mais de meio século de destacadas participações em missões da ONU, o Brasil perdeu alguns de seus melhores soldados. São heróis, geralmente esquecidos, que deram suas vidas pela honra e glória de seu país. Dignificaram, sobretudo, a profissão militar. A nação lhes deve uma eterna, e muitas vezes negada, gratidão.

REJEITAM a expressão “sociedade civil”, algumas vezes usada maldosamente para discriminar os militares, a eles se referindo como se não fossem partes vivas, ativas, atuantes e valorosas de uma sociedade a que todos nós pertencemos. É imperativo reconhecer que as Forças Armadas e os demais segmentos da população constituem, harmônica e indiscriminadamente, a sociedade nacional brasileira.

MANIFESTAM insatisfação pelos desmandos e ineficácia de muitos setores da administração pública no País, em especial a negligência com os programas estratégicos de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico, do preparo da base mínima de defesa, da saúde pública, da educação, do saneamento básico, dos transportes, da segurança pública, da produção e distribuição de energia.

DEFENDEM a exploração direta da atividade econômica pelo Estado, prevista no art. 173 da Constituição Federal, com a implantação, apoio e regulação de empresas estratégicas, que operem em setores de auto-suficiência, mobilização, defesa e segurança do Estado, ou de relevante interesse coletivo, como material bélico, de uso nuclear, de navegação, de comunicação, de missilística, de tecnologia de vôo fly by wire, de controle de bens sensíveis e armas químicas/biológicas e de empreendimentos em que o Estado é o seu único cliente. Tais atividades compreendem o cotidiano da pesquisa, do desenvolvimento científico e tecnológico e a experimentação científica. É importante ressaltar que o setor é de fundamental importância, já que, nesses segmentos, os “lucros” esperados são a soberania nacional, o aumento no poder de dissuasão, a capacidade do Estado de se mobilizar e suprir-se a qualquer tempo, livre de salvaguardas internacionais ou de embargos estrangeiros sempre reticentes e condicionais.

PROTESTAM contra a corrupção incontida que grassa em vários escalões do poderes constituídos do Estado Brasileiro, sob a égide nefasta da impunidade, com a conivência e o descaso de maus brasileiros. A sociedade assiste aturdida, decepcionada e indefesa, aos procedimentos indecorosos, antiéticos, imorais, e não raro delituosos, de muitas autoridades que têm o dever de não errar, mas que, apesar de flagrados e denunciados em atos ilícitos, permanecem impunes. Merecem o nosso repúdio e, jamais, o nosso voto.

CLAMAM contra a obsolescência dos equipamentos e armamentos da Força Terrestre Brasileira. Nosso país não pode ficar à mercê de maus governantes que ignoram – em algumas situações, propositadamente – que às Forças Armadas cabe a responsabilidade constitucional de defender a Pátria, garantir os poderes constitucionais, a lei e a ordem. Tão importantes e complexas atribuições, exigem que as autoridades forneçam os MEIOS necessários à existência e manutenção de forças adequadamente equipadas e adestradas, a altura da grandiosidade do país. Exércitos não se improvisam. Nossas Forças Armadas, para atingir a eficácia no cumprimento de suas missões, necessitam de recursos muito maiores do que os minguados 2% do PIB que atualmente lhes são destinados. A expressão do poder militar brasileiro, cuja repercussão dissuasória precisa ser inquestionável, pressupõe investimentos expressivos em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia nacional na área de material militar, a exemplo do desenvolvimento da família de veículos blindados de transporte sobre rodas VBTP, cujo protótipo será testado pelo Exército no 2º semestre de 2010, aliados a um programa permanente de aquisição, no mercado externo, de equipamentos atualizados. A história registra o infortúnio vivenciado por algumas nações, em consequência da omissão e do descaso com suas forças armadas. É oportuno lembrar que todos possuem Exércitos: o seu ou o do invasor.

RECONHECEM a necessidade de prover a Marinha do Brasil de meios adequados e suficientes para o cumprimento de suas missões. A defesa do extenso litoral brasileiro e da nossa já cobiçada “Amazônia Azul”, exige a presença de uma poderosa esquadra, compatível com a grandiosidade de suas atribuições. O Poder Naval brasileiro, como fator dissuasório, será de fundamental importância nas próximas décadas, assegurando a defesa do nosso espaço e riquezas marítimas. Também a presença de submarinos nucleares em nossa frota será vital para que o país detenha o controle e mantenha o domínio do mar territorial brasileiro. Por outro lado, é inconcebível que a legislação ainda não estenda à Força Naval, em operações ribeirinhas, o poder de polícia que o Exército detém nas fronteiras. É um absurdo constatar que as patrulhas fluviais da Marinha não possam atuar sem a presença de autoridades policiais, mesmo em presença de flagrantes de cometimento de ilícitos penais.

APONTAM para a urgência em dotar a Força Aérea Brasileira de aeronaves e equipamentos capazes de assegurar o controle e o efetivo domínio de nosso espaço aéreo. A aviação de caça brasileira não pode, sob pena de cometimento de crime de lesa pátria, ficar refém de interesses e injunções políticas. A decisão técnica da Aeronáutica sobre a matéria deve ser acatada como conclusiva e definitiva, diante dos imensos prejuízos operacionais e financeiros que uma decisão equivocada traria para a defesa e os interesses nacionais. Por outro lado, a nossa atual frota de aeronaves de transporte, reduzida, sucatada e obsoleta, somente cumpre as missões que lhe são atribuídas graças ao esforço, competência e dedicação das equipes de vôo e manutenção. A indústria aeronáutica brasileira, reconhecida internacionalmente por sua eficácia, tem condições de fornecer a Força Aérea, em médio prazo, aeronaves de transporte modernas, capazes de atender às suas necessidades, inclusive no apoio ao Exército e à Marinha. Devemos lembrar que a Força Terrestre, cuja mobilidade é fundamental para o cumprimento de suas missões, necessita de transporte aéreo rápido, seguro e eficiente para o deslocamento de suas tropas – até mesmo no nível Brigada – para qualquer parte do nosso território, onde se façam necessárias. Já os sistemas de proteção e vigilância da Amazônia – SIPAM E SIVAM – cuja eficácia depende da destinação de recursos compatíveis com a sua importância para a defesa e incolumidade do espaço aéreo, devem se prioritários, inclusive com investimentos em pesquisa e desenvolvimento tecnológico de radares e equipamentos de comunicação de última geração.

DESAPROVAM os gastos públicos com a absurda “dívida da União” com os chamados anistiados políticos, supostos militantes de esquerda derrotados em suas investidas contra os governos militares, a partir de 1964. Tais indenizações, que já superam R$ 2 bilhões, na maioria dos casos não resistem às mais elementares justificativas quanto à sua motivação. Ao reverso, se assemelham muito mais a uma verdadeira “premiação” pelas sangrentas atividades desenvolvidas por integrantes de organizações clandestinas, cujo principal objetivo era a implantação no Brasil de um governo comunista, ao estilo da ditadura cubana. Ironicamente, o vencedor indulgente – nossas Forças Armadas – é exposto sempre como algoz. Essa prodigalidade milionária e unilateral é reprovada até mesmo por setores da esquerda brasileira, não coniventes com o verdadeiro assalto aos cofres público promovidos pela Comissão de Anistia, do Ministério da Justiça.

REITERAM a relevância de uma maior presença das nossas Forças Armadas na Amazônia brasileira. Proclamam a necessidade de incrementar ações que proporcionem a formação de pólos que irradiem, a partir das unidades militares, o desenvolvimento das possibilidades econômicas e da realidade local. É imperativo denunciar e frustrar as tentativas de sujeitar a Amazônia brasileira à “soberania relativa” ou de internacionalizá-la. Urge responsabilizar os falsos “especialistas” que atestaram e reconheceram, nela, como sendo “nações” indígenas, grupos que muitas vezes rejeitam a nacionalidade brasileira e que, seduzidos por mercenários, em sua maioria integrantes de ONGs que atuam na região, reivindicam a autonomia de imensos espaços territoriais, onde nada produzem, interessados, apenas, na nossa imensa biodiversidade e nos vastos recursos econômicos ali existentes. O povo brasileiro precisa conhecer as verdadeiras intenções de muitos dos grupos nacionais e internacionais que atuam livremente na Amazônia Brasileira, aliciando a população, especialmente a indígena, através de idéias separatistas, geralmente mal disfarçadas em ajuda humanitária ou trabalho religioso. O episódio da Raposa Serra do Sol, área que pela ação de maus brasileiros pode ser hoje classificada como de “soberania relativa” para o Brasil, deve servir de exemplo quanto à realidade das ameaças que pairam sobre a nossa Amazônia.

RECORDAM a existência no subsolo brasileiro de um dos maiores reservatórios de água subterrânea do planeta, o pouco conhecido Aquífero Guarani, obviamente uma reserva estratégica, situada na área econômica do Mercosul, com uma superfície de quase 1,2 milhões de km²,estendida pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. A maior parte da área do Aquífero Guarani está situada no Brasil, com 840 mil km², espalhando-se pelo subsolo de oito Estados: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, num total de 70,2 % da área total do aquífero. O Aquífero Guarani está inserido na Bacia Geológica Sedimentar do Paraná, e constitui a principal reserva de água subterrânea da América do Sul, com um volume estimado de 46 mil km³. Sob o pretexto da proteção ambiental, a existência desse manancial foi levada à mesa do Banco Mundial, onde estão sendo feitos estudos para melhor conhecer esses recursos e para o estabelecimento de parâmetros regulatórios, que sejam geridos pelos quatro países principais interessados. As reuniões desse grupo são pouco divulgadas e é imperativo exigir-lhes transparência, a fim de que não sejamos surpreendidos por uma legislação contrária aos interesses brasileiros, já que a maior parte do território do Aquífero Guarani encontra-se em nosso país.

SUSTENTAM que o indigenismo e a política indigenista não devem ser atrelados a componentes ideológicos e que a integração dos silvícolas, que são brasileiros natos, deve ser recolocada na competência constitucional da União, de onde foi subtraída ante a pressão da Igreja, da militância ideológica infiltrada na administração pública e das auto-intituladas organizações representativas da sociedade civil, a serviço do ativismo mercenário, que atuam como inimigos do desenvolvimento nacional.

CONSIDERAM que a saúde pública, que deveria ser preventiva, nem chega a ser curativa. A saúde no Brasil está abandonada, aparentemente em consequência da rejeição do Congresso Nacional em aprovar a nova CPMF. A maior parte da população não é atendida pelo inoperante sistema de saúde pública e não tem condições de arcar com os escorchantes planos de saúde privados. A vacinação é inoperante e, quando disponível, fica sujeita à adesão popular e por prazos limitados. A vacinação infantil nas maternidades e nas escolas deixou de ser praticada.  Ocasionalmente, a administração pública tem ímpetos de cuidados com a saúde e anuncia à população, através de caríssimas matérias publicitárias, campanhas de vacinação, alertas contra doenças, endemias, obesidade, pressão arterial, que não alcançam parcela significativa do universo dos necessitados. Hospitais em greve, corrupção administrativa, clínicas sem médicos, equipamentos defeituosos, falta de medicamentos, ambulâncias inexistentes ou inoperantes, centros cirúrgicos desativados, esse é o quadro do desmando noticiado diariamente, sem que ninguém seja responsabilizado. De há muito que a saúde do brasileiro não é prioridade para os governantes.

LAMENTAM que a Educação e o Ensino não contemplem a formação de inteligência e que os ensinos fundamental e médio sejam ministrados sem compromissos com a compreensão dos conteúdos programáticos, o que resulta numa educação desuniforme da juventude, não lhes dando consciência de valores cívicos e morais, não dignificando o trabalho como fator de desenvolvimento pessoal e profissional. Tal consciência cívica se fundamenta no reconhecimento da igualdade das pessoas – jurídica e social – e configura a expressão máxima da cidadania, sem qualquer discriminação. Urge valorizar o magistério, retirar os componentes ideológicos do processo, reeditar a normalista e o ensino normal, arejar o sistema, eleger prioridades claras, objetivas e consequentes, e, principalmente, despertar o civismo nos jovens, sob pena de não o fazendo, comprometer o futuro na nacionalidade. Por outro lado, a Universidade, sob a proteção da autonomia universitária absoluta, permanece circunscrita às faculdades que agrupa, sem a necessária interação com o sistema. As escolas, voltadas para a meta da graduação profissional liberal, descuram da pesquisa e desenvolvimento de idéias, de novas teorias, materiais e utilidades, de novos conceitos, de diferentes caminhos da inteligência e têm, no vestibular, um negócio e um gargalo em que a memória e a técnica prevalecem sobre a inteligência, o conhecimento e o raciocínio, se afastando, por conseguinte, das características dos centros de excelência. É necessário estimular e apoiar a parceria das universidades com o sistema produtivo, proporcionando melhores condições para o desenvolvimento econômico.

CRITICAM o abandono do setor elétrico no país: estamos de volta à escuridão. Em 2005, no VII ENCONTRO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO, a Declaração de Porto Alegre já previa uma possível carência de energia elétrica em 2010 e apontava a necessidade de se ampliar a potência instalada, pois desde 2001 nenhuma nova usina iniciara operação no País. Interesses não revelados servem-se da burocracia para postergar a construção de hidroelétricas: estudos ambientais, relatórios de impacto ambiental, licenciamento, proteção da fauna, direitos indígenas e marcos regulatórios, são alguns dos artifícios que embaraçam essas obras. Mas, na verdade, elas não prosperam pela omissão e ineficiência da administração pública

ATENTAM para a necessidade de reordenamento dos programas de uso de fontes alternativas de energia, em especial as de origem renovável, nuclear, solar, e eólica. Os projetos e as obras das novas usinas nucleares em Angra dos Reis foram postergados a pretexto de preservar o meio ambiente e para “garantia” da incolumidade das populações locais contra o risco de acidente nuclear, ante os receios nacionais – de “representantes da sociedade civil organizada” – e internacionais (ONGs), de que o sistema não seria confiável. Por outro lado, o preço do álcool continua equivocadamente atrelado ao da gasolina, o que não conduz à economia de gasolina e, ao mesmo tempo, retira a vantagem do consumo do álcool. Via de conseqüência, o suprimento do mercado interno não tem precedência sobre a exportação, sendo refém da conveniência do mercado internacional. Além disso, o álcool concorre com o combustível produzido pela Petrobrás. Quanto a outras fontes de energia – solar e eólica – continuam ignoradas pelas autoridades governamentais.

DENUNCIAM as “alianças bolivarianas”, que estão em pleno desenvolvimento na região, e que certamente irão deteriorar a secular boa vizinhança sul-americana. É inaceitável que o governo do Brasil tenha sido seduzido pelas aventuras ideológicas antidemocráticas implantadas em alguns países do continente, reconhecido como legítimos movimentos terroristas como as FARC, adotado postura flagrantemente ideológica no tratamento de questões de extradição de criminosos e refugiados políticos, prejudicado os interesses nacionais nos episódios do gás boliviano, da Petrobrás na Venezuela e da energia elétrica de Itaipu com o Paraguai e afrontado a nossa histórica política externa de não-intervenção, ao se imiscuir em assuntos internos de outras nações, abrigando na embaixada brasileira durante meses – sem a condição de asilado político – o ex-presidente de Honduras, deposto por decisão da Suprema Corte daquele país.

CONFIAM no valor, no espírito cívico e na capacidade de superação do povo brasileiro neste ano de 2010, quando as urnas deverão indicar os futuros governantes da nação. Num passado recente, os militares devolveram à sociedade um país democrático, desenvolvido e pacificado. Todos, inclusive os que tentaram implantar em nosso país um regime totalitário esquerdista inspirado na sanguinária ditadura cubana, se beneficiaram da Lei da Anistia. A democracia legada pelos militares possibilitou que os brasileiros, indiscriminadamente, participassem do processo eleitoral e atingissem os mais altos postos da nação. A sociedade aguarda, pacífica e ordeira, a decisão soberana das urnas. Mas, nós da Reserva Atenta e Forte estaremos prontos para, se for o caso, pugnar contra eventuais tentativas de desvios de rumos objetivando o rompimento da normalidade jurídico-institucional do país.

CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS R/2 DO BRASIL

Sérgio Pinto Monteiro – 2º Ten R/2 Art

Presidente

PELAS ENTIDADES FILIADAS

1 – ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AORE/DISTRITO FEDERAL
Presidente: 2º Ten R/2 Inf Rômulo Jorge de Melo Nogueira

2 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AORE/RIO DE JANEIRO
Presidente: 2º Ten R/2 Art Luiz Eugênio Bezerra Mergulhão Filho

3 – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO- ABORE/SÃO PAULO
Presidente: 1º Ten R/2 Inf Aniz Buíssa

4 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO BRASILEIRO – AOR – EB
Presidente: Ten Cel R/1 Inf Paulo Rubens Pereira Diniz

5 – ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO CPOR/RECIFE
Presidente: 2º Ten R/2 Eng Luciano Faro Cassundé

6 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS R/2 DO RIO GRANDE DO SUL – CPOR/PORTO ALEGRE
Presidente: 2º Ten R/2 Art Eduardo Marenco de Oliveira

7 – ASSOCIAÇÃO PETROPOLITANA DE OFICIAIS DA RESERVA – APOREx – PETRÓPOLIS
Presidente: 2º Ten R/2 Inf Antônio Jorge de Azevedo Clavery

8 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS R/2, EX-ALUNOS E AMIGOS DO NPOR DE NATAL – AORN
Presidente: 2º Ten R/2 Inf Elisiário Ferreira Lima Júnior

9 – ASSOCIAÇÃO MATOGR0SSENSE DE OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AMORE
Presidente: 1º Ten R/2 Inf Jânio Gonçalo Maciel de Morais

1O – ASSOCIAÇÂO DOS OFICIAIS DA RESERVA DE PONTA GROSSA – AORPG – PARANÁ
Presidente: 1º Ten R/2 Inf Orlando Frizanco

11 – ASSOCIAÇÃO DE EX-ALUNOS E AMIGOS DO NPOR DO 9º BIMTz – PELOTAS – RGS
Presidente: 2º Ten R/2 Inf  Marco Antonio Almeida Tavares Gravato

12 – ASSOCIAÇÃO PARAIBANA DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – APORE
Presidente: 1º Ten R/2 Cav Hamilton Madruga Espínola Guedes

13 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AORE/JUIZ DE FORA
Presidente: 2º Ten R/2 Art Mauro Lúcio Pires

14 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AORE/ALAGOAS
Presidente: 2º Ten R/2 Inf André Sahaj Lobo Monteiro

15 – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA DO EXÉRCITO – AORE/BELÉM
Presidente: 2º Ten R/2 Inf Túlio Roberto Cei
PELAS ENTIDADES COLABORADORAS
1 – CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TIRO DEFENSIVO – CBTD
Presidente: 1° Ten R/2 Inf Sérgio Marcos Bitencourt Silveira

2 – CREDIÁRIO E CONSULTORIA LTDA
Presidente: 1º Ten R/2 Eng  Moacir Carlos Muzzi  Machado

(Esse texto também está publicado em www.militar.com.br – e outros)


RecomendoIniciativas que recomendo

http://www.abortonaoptnao.com/

http://www.paulofernando.com.br/ 

http://www.salvemobrasil.com/

http://www.ternuma.com.br/

http://levante-se.com/

http://www.alertatotal.net/

http://www.fortalweb.com.br/grupoguararapes/

http://nacaomestica.org/

http://www.midiasemmascara.org/

http://www.olavodecarvalho.org/index.html

http://www.providafamilia.org.br/

http://www.grupoinconfidencia.com.br/

http://www.tribunanacional.com.br/


Veja tambémRedes sociais

Orkut:

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=35355751


Outros

Roberto Jefferson, figura polêmica mas cujos comentários - em relação a esta eleição - considero de boa qualidade:

http://www.blogdojefferson.com/


Colabore
DivulgueImprima e distribuia

 Apelo aos Brasileiros e Brasileiras - Documento oficial CNBB regional Sul1


 


Divulgue na internet

Em blogs, twitter, fóruns, orkut, MSN, divulgue:


http://aborte.dilma.rousseff.net.br




http://naovote.dilma.rousseff.net.br

 


http://dilma.rousseff.net.br


 


Avatares

 

VEJA MAIS AVATARES AQUI! - USE NO MSN, ORKUT, TWITTER, FACEBOOK, ETC...


Colabore

Há muitas formas de colaborar com este trabalho, a divulgação deste endereço por toda parte (com especial orientação para re-divulgação) pode fazer toda a diferença.

Em breve haverá material para ser impresso.

Contribuições com informações, textos e material de propaganda são bem vindas. Da mesma forma contribuições para que paguemos anúncios deste sítio. Em todos os casos, por favor mantenha sempre contato, o endereço: lucas@rousseff.net.br







Veja o MAPA do Problema

 


Ainda não se convenceu?! Escreva para o meu endereço eletrônico!


Leia: Esclarecimentos importantes


Dilma Rousseff - porque não votar